Pessoas sem teto que ocuparam na madrugada de hoje (7) o Prédio Santo André, na Avenida Celso Garcia, no Brás, zona leste da capital paulista, passaram a manhã limpando os apartamentos onde pretendem morar pelos próximos dias. “Tinha muita poeira, mas debaixo dela está um prédio em ótimas condições. Aqui é muito melhor do que onde eu estou morando hoje”, relatou a auxiliar de limpeza Márcia Maria da Paixão, 37 anos, que vive em um quarto e sala com o marido e os dois filhos, pagando R$ 350 por mês. “Só a sala daqui é do tamanho de onde eu moro”, comparou.

A ocupação, que começou por volta da meia-noite, foi organizada pelo Movimento de Moradia da Cidade de São Paulo (MMC). “Esperamos que o Poder Público municipal possa reformar esses prédios, que já foram desapropriados para fins de moradia popular, o mais rápido possível. A vizinhança nos disse que ele está há mais de cinco anos vazio, sem cumprir a sua função social”, explicou Luiz Gonzaga da Silva, coordenador do movimento.