Os secretários do Meio Ambiente do Rio Grande do Sul, Carlos Fernando Niedersberg, e de Porto Alegre, Luiz Fernando Záchia, foram presos na manhã desta segunda-feira, 29, em uma operação da Polícia Federal do Estado. Além dos dois secretários, mais 16 pessoas foram presas suspeitas de envolvimento em crimes contra a administração pública, lavagem de dinheiro e crimes ambientais.

Em nota, o governador do RS, Tarso Genro (PT), determinou o afastamento imediato de Niedersberg. “Não apenas o secretário será afastado. Se soubermos de qualquer outro nome do Governo do Estado envolvido, ele será igualmente afastado. Essa é uma medida preventiva” afirmou o governador, que está em Israel em uma missão internacional. O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati (PDT), também informou por nota o afastamento de todos os funcionários públicos apontados pela investigação da PF. “Não se trata de qualquer julgamento prévio, mas de uma iniciativa para preservar e garantir a total transparência ao processo”, disse.

Operação Concutare

Iniciadas em junho do ano passado, as investigações da PF do Rio Grande do Sul identificaram um grupo criminoso formado por servidores públicos, consultores ambientais e empresários. Eles são suspeitos de fraudar licenças ambientais e autorizações mineiras no Estado.

Nesta segunda-feira, a Polícia cumpriu 29 mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva em oito cidades do RS (Porto Alegre, Taquara, Canoas, Pelotas, Caxias do Sul, Caçapava do Sul, Santa Cruz do Sul e São Luiz Gonzaga) e também em Florianópolis, em Santa Catarina. Cerca de 150 policiais participara da operação.