Rio – Uma rebelião no presídio Bangu III, no Rio de Janeiro, deixou ontem um agente penitenciário morto. O agente Luiz Cláudio Lima Bonfim, baleado no abdome e na perna, não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Rocha Faria. Outros dois agentes, identificados pela secretaria como Pedro Wallace da Silva e Ronaldo Barbosa de Souza, foram feridos. O governo do Rio de Janeiro informou ontem que os internos estavam com quinze reféns, que estariam sendo espancados.

A segurança em todo o Complexo de Bangu foi reforçada e a unidade está cercada por policiais militares e agentes do SOE. Ainda há helicópteros sobrevoando o presídio. Alguns dos detentos rebelados pediram um carro para a fuga. Segundo nota da Secretaria da Administração Penitenciária do Rio de Janeiro, o secretário Astério Pereira dos Santos afirmou que a exigência “não será atendida sob nenhuma hipótese”. O fornecimento de água e de luz para a unidade foi cortado.

A rendição

Os rebelados renderam e pegaram as armas de agentes do Serviço de Operações Externas às 11h de ontem. A ação ocorreu no momento em que os agentes se preparavam para levar alguns presos para depoimento fora de Bangu 3.

Os rebelados teriam obrigado os agentes penitenciários a vestirem o uniforme usado pelos detentos. A rebelião estaria sendo comandada pelo preso Alexander Silva, o Polegar, chefe do tráfico na Mangueira.

A penitenciária Bangu III tem capacidade para 896 presos e abriga hoje 781.