Sem receber qualquer apoio das autoridades federais brasileiras, a atendente Marluce Dias Lima, de 29 anos, apelou para duas rifas na tentativa de conseguir dinheiro para trazer o corpo do pai do Suriname. O garimpeiro Manoel Andrade Lima, de 59 anos, que deixou mulher e sete filhas no Brasil, foi encontrado enforcado no dia 26 de dezembro em Paramaribo, capital do Suriname, onde trabalhava havia 12 anos.

Desde então, a família tenta contatos com autoridades brasileiras para conseguir trazer o corpo, cujo traslado até Belém custa US$ 1,8 mil. Da capital paraense, o corpo do garimpeiro será levado para o município de Imperatriz do Maranhão, a cerca de 600 quilômetros de São Luiz, onde vive a família do morto. Marluce fez duas rifas, uma de um aparelho de DVD e outra de uma cesta de bombons, que está vendendo pelas ruas da cidade de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, onde vive com a mãe e as irmãs. Até agora, ela conseguiu arrecadar R$ 480,00.