Brasília – A economia brasileira deve crescer 4,10% neste ano, de acordo com estimativa média de uma centena de analistas de mercado e de instituições financeiras ouvidos na última sexta-feira (20) pela pesquisa semanal do Banco Central. A pesquisa serve para acompanhar as tendências do mercado sobre os principais indicadores da economia, e seus resultados são divulgados no Boletim Focus, do BC, às segundas-feiras.

A projeção deste ano para crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todas as riquezas produzidas no país, permaneceu em 3,50% por mais de seis meses. Mas, com a revisão dos critérios de medição do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os analistas financeiros corrigiram a expectativa para 4%, na semana passada, e agora revisam para 4,10%, e mantêm o prognóstico de 4% para o ano que vem.

Em decorrência dessa evolução, o Boletim Focus estima redução de 43,90% para 43,70% na relação entre dívida líquida do setor público e PIB, projetada para o final de 2007. Isso significa dizer que 43,70% de tudo que o país produzir ao longo do ano estarão comprometidos com a dívida. Quanto menor for essa relação, maior a confiança externa no país; e as projeções indicam retração para 41,95% no final de 2008.

O Boletim Focus aumentou a expectativa de entrada de investimentos estrangeiros no setor produtivo. A estimativa anterior, de US$ 18 bilhões neste ano, evoluiu para US$ 18,3 bilhões; e a projeção de 18,7 bilhões no ano que vem, cresceu para US$ 19 bilhões. Em contrapartida, a pesquisa do BC reduziu de R$ 2,10 para R$ 2,06 a cotação do dólar no final deste ano, e baixou de R$ 2,15 para R$ 2,13 a cotação final de 2008.

A perspectiva de saldo da balança comercial (exportações menos importações) manteve-se em US$ 40 bilhões neste ano, o que garante saldo de conta corrente em torno de US$ 8,5 bilhões, depois de computadas todas as transações comerciais e financeiras com o exterior. O saldo comercial deve reduzir um pouco em 2008, de US$ 36 bilhões para US$ 35,65 bilhões, o que diminui a projeção do saldo de conta corrente, de US$ 4,25 bilhões para US$ 4 bilhões.

Embora todas as simulações indiquem inflação em queda gradativa, tanto no varejo quanto no atacado, o Boletim Focus manteve as mesmas projeções para a taxa básica de juros (Selic), que está em 12,50% ao ano, desde a última quartta-feira. Os analistas financeiros estimam que a taxa chegará ao final de 2007 em 11,25%, com possibilidade de descer a 10,50% no final de 2008.