Um espetáculo que é uma verdadeira aula de diversidade cultural e um resgate das raízes do Brasil. Assim podemos definir o Brasilis, criação do Circo Turma da Mônica que traz, às crianças e aos adultos, um conteúdo de qualidade sobre as mais diferentes culturas brasileiras através dos personagens mais queridos do país, a Turma da Mônica. Em Curitiba, a trupe desembarca nos dias 21 e 22 de setembro, mas a Tribuna do Paraná adianta o que vai ser visto e o quanto assistir ao espetáculo pode acrescentar em conhecimento.

Brasilis levanta, de forma sutil e leve, o questionamento sobre o que é diversidade cultural. Por meio de uma grande aventura na imaginação da Turma da Mônica, o enredo embarca em nossa história, passando pelas principais origens: dos indígenas, negros e europeus. Maurício de Sousa, o criador da Turma da Mônica, disse que a missão foi pensada com o objetivo de levar uma boa mensagem, pois todos precisam ouvir nos dias de hoje.

“A palavra diversidade até pode ser difícil de uma criança entender, mas no meio de um espetáculo, na repetição, na explicação gráfica ou cênica, a criança absorve e entende. Vamos repetir para que ela amadureça, fique jovem, adulta e saiba que recebeu esse tipo de mensagem desde criança. Estamos plantando e vamos colher”, comentou o criador da Turma da Mônica em entrevista exclusiva à Tribuna do Paraná, em São Paulo.

+Leia também: McDia Feliz acontece no próximo dia 24 e vai beneficiar duas instituições de Curitiba

Produção resgata as raízes brasileiras no palco. Foto: Lucas Sarzi/Tribuna do Paraná
Produção resgata as raízes brasileiras no palco. Foto: Lucas Sarzi/Tribuna do Paraná

Amadurecimento das produções

Maurício disse que, no começo de suas criações, não se preocupava conscientemente em falar do assunto, “mas sentia a necessidade de conversar com as crianças numa linguagem normal, de pai para filho. Independente da ciência ou consciência, plantar esse grãozinho é importante, porque ele fica e cresce junto com as pessoas”, destacou.

Foto: Divulgação.
Foto: Divulgação.

O pai da Turma da Mônica disse, ainda, que no começo não percebia o tamanho de sua responsabilidade, mas que foi tomando conhecimento ao longo dos anos. “Quando começaram a falar comigo por cartas, e-mails, mensagens diretas, pude perceber. A repercussão do que nós fazemos, desenhamos e escrevemos pesa de maneira agradável e honrosa. A imagem é de uma responsabilidade social e cultural, sabemos disso e vamos ter todo o cuidado do mundo para deixar que essa mensagem se harmonize com a população cada vez mais para crescer”, disse Maurício, reforçando que a intenção sempre foi tratar da importância da família. “Mas todos os tipos de família, sem preconceito”.

O espetáculo ficou em cartaz primeiro em São Paulo e agora sai em turnê. “O que encaramos como um desafio, de todas as maneiras, a começar pela produção. É o primeiro espetáculo que está fazendo uma excursão do Amazonas até o Rio Grande do Sul, isso é inédito até para companhias de teatro que temos aqui. Ver o espetáculo maduro, aplaudido e com o entendimento da plateia me traz muito orgulho. Estou tranquilo com o tipo de mensagem que vamos deixar para o país inteiro e para a família brasileira”.

+ Atenção! Você está a um clique de ficar por dentro do que acontece em Curitiba e Região Metropolitana. Tudo sobre futebolentretenimentohoróscopo, blogs exclusivos e os Caçadores de Notícias, com histórias emocionantes e grandes reportagens. Vem com a gente!

Amadurecimento das produções da Turma da Mônica foi acontecendo aos poucos. Foto: Lucas Sarzi/Tribuna do Paraná
Amadurecimento das produções da Turma da Mônica foi acontecendo aos poucos. Foto: Lucas Sarzi/Tribuna do Paraná

Seriedade e leveza

Mauro e o pai, criador da Turma da Mônica. Foto: Divulgação.
Mauro e o pai, criador da Turma da Mônica. Foto: Divulgação.

No palco, o protagonismo é de Fafy Siqueira, que divide espaço com a turminha mais amada do país. Já a trilha sonora fica sob o comando da potente voz de Paula Lima, que interpreta, ao som do Olodum, músicas criadas especificamente para o espetáculo, que é o maior musical já produzido nos estúdios da Mauricio de Sousa Produções, sob a direção de Mauro Sousa.

O que todo o elenco busca é passar, com leveza, a mensagem de que devemos respeitar todas as diferenças culturais que existem em nosso país. “Não vimos tema melhor para o momento que não a diversidade cultural. Brasilis é um espetáculo que aborda estes temas de uma maneira mais superficial, mas buscamos a maneira correta de fazer isso, com leveza, de um jeito divertido, correto e respeitoso”, disse Mauro.

Tanto para Paula como para Fafy, essa não é a primeira vez que fazem trabalhos com musical, mas a missão do Brasilis é diferente. “Essa narrativa de diversidade cultural é algo que me interessa e que eu preciso falar sobre. Além disso, adoro o lance de a gente conseguir transformar a criança e fazer com que ela entenda coisas que na escola ela não vai ouvir e, ao mesmo tempo, fazer os adultos refletirem, porque acho que as pessoas estão retrocedendo. Tem muito amor envolvido nesse espetáculo e o amor faz com que tudo se transforme”, disse Paula.

+Leia também: Casseta & Planeta vai passar por Curitiba com turnê comemorativa dos 30 anos

Fafy Siqueira divide o protagonismo do espetáculo com os personagens da turminha. Foto: Lucas Sarzi/Tribuna do Paraná
Fafy Siqueira divide o protagonismo do espetáculo com os personagens da turminha. Foto: Lucas Sarzi/Tribuna do Paraná

“É por isso que eu acho que vocês, patrocinadores, tinham que pagar para podermos levar isso sem cobrar ingresso. Somos 27 pessoas em cena, não tem como abrirmos as portas, mas se tivermos alguém que acredite na gente, isso vai muito longe. Falo sério, porque comediante também sabe falar sério. Esse espetáculo merece investimento, porque temos um prazer de falar isso não só para as crianças, mas para os adultos também”, completou Fafy, emocionada por fazer parte dessa história.

A cantora e a comediante entraram em consenso que o cuidado tomado pela direção de Mauro Sousa faz com que o espetáculo toque o coração do público de modo geral. “Apesar de termos tido o cuidado de saber que não dá para aprofundar, a mensagem chega como se fosse um gol. As pessoas entendem, abraçam e saem transformadas, porque é impossível sair indiferente”, disse Paula Lima, que também avaliou que o momento pede que as coisas sejam ditas para que encontremos e olhemos para nossas origens. “Quando vi o musical pela primeira vez e mergulhei no texto, a única coisa que eu pensava era ‘como eu queria ter tido isso na minha escola, na minha aprendizagem, que os meus colegas tivessem ouvido isso’. Deveria ser algo realmente para todos, como uma campanha até”.

+Leia também: ‘Vamos conhecer a Anitta’, comemoram filhos de Pedro Scooby em vídeo de Piovani

Paula Lima encanta o público com sua voz. Foto: Lucas Sarzi/Tribuna do Paraná
Paula Lima encanta o público com sua voz. Foto: Lucas Sarzi/Tribuna do Paraná

Bora lá?

Com cenários grandiosos, muita tecnologia, efeitos especiais, mais de 100 figurinos e um elenco afiado de bailarinos e artistas circenses, a Turma da Mônica promete envolver o público nessa aventura para descobrir um pouco mais sobre o nosso país e sobre nossas raízes. Em Curitiba, o espetáculo vai ficar dois dias em cartaz no Teatro Positivo. Os ingressos custam a partir de R$ 37,50 (meia-entrada) e podem ser comprados pelo site Uhuu ou no ponto de vendas físico, no Shopping Crystal.

Três anos depois do ‘The Voice Kids’, Rafa Gomes se prepara pra lançar disco