Este domingo é o primeiro dia de Tite como ex-técnico do Corinthians. E para quem acha que ele está triste, apesar de não esconder que gostaria de ficar, engana-se. O treinador deixa o clube com o sentimento de dever cumprido e “comemorando” ter um fim de ano apenas para se dedicar à família.

Tite não pensa em voltar aos trabalhos no início de 2014 e quer aproveitar toda sua hora livre de agora em diante para “dar uma maior atenção” às pessoas que mais estiveram do seu lado nos momentos de alegria e também de dificuldade.

“Essa fase, após as competições, você fica muito ligado com a diretoria para agilizar o planejamento do outro ano, traçar as metas de trabalho e não consegue deixar de ficar pilhado. Agora será diferente, terei um tempo maior para a esposa, quero ver meus filhos, a mãe e os irmãos”, afirma Tite.

O gaúcho passará uns dias no Sul apenas tomando chimarrão, a indispensável caipirinha e comendo um bom churrasco. Já disse que se desligará um pouco do mundo da bola, apesar de não esconder que vai torcer para a Ponte Preta na decisão da Sul-Americana e pelo Atlético-MG no Mundial de Clubes.

Seu Natal e Ano Novo vão ser em família, mas com o pensamento apenas neles. Nada de falar de futebol à mesa ou receber ligações de clubes. Ele já adiantou que a volta à beira de campo vai demorar um pouco.

Tite sai do Corinthians realizado. Não apenas pelos títulos da Libertadores, Mundial, Brasileiro, Paulista e da Recopa, mas principalmente pelo reconhecimento da torcida. “As pessoas às vezes falam que têm de esperar muito em vida para receber uma homenagem. Comigo foi diferente. E esse momento que eu saio é especial, não veio por falta de resultados ou má fase. E toda hora estou surpreendido com um gesto de carinho, é único e não tem adjetivos”, afirma.

O treinador fez questão de agradecer a todos com os quais conviveu nesses mais de três anos de Corinthians. E, segurando as lágrimas, não escondeu que sentirá falta de muita coisa.

“Vou sentir falta do vestiário, dos funcionários, dos atletas, da grama, dos elogios, da hora de ser duro, de dar carinho, da palavra de pai ou do homem que manda. Essa ausência do convívio é o que mais vou sentir falta.”

E nem o fato de ter se despedido com uma derrota para o lanterna Náutico mexeu com o treinador. Ele absorveu o time de culpa, alegando que todos também ficaram abalados após o anúncio de sua saída. Ele mesmo nem conseguiu dirigir o Corinthians na Arena Pernambuco. Passou a árdua tarefa ao auxiliar Sylvinho, a quem “deve um favor.”

O treinador se despede sem querer atropelar a direção e anunciar que será substituído por Mano Menezes. Mas desejando saúde para quem for substituí-lo. Tite sai com a cabeça erguida e com uma certeza: um dia voltará pela segunda vez para uma terceira passagem novamente vencedora.