O técnico Dorival Júnior optou por não poupar os titulares do Santos, neste sábado, contra o Avaí, pela 20.ª rodada. O objetivo era abrir distância confortável da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Conseguiu. A equipe goleou os catarinenses por 5 a 2, na Vila Belmiro, chegou a 27 pontos e subiu bastante na tabela de classificação. Está, pelo menos provisoriamente, em 10.º lugar. O Avaí entrou na zona da degola com a vitória do Goiás por 3 a 0 sobre o Vasco.

O Santos começou o jogo de maneira avassaladora. Em 10 minutos, perdeu duas chances com Ricardo Oliveira e chegou ao primeiro gol, com Gabriel aproveitando na pequena área falha de Diego em uma cobrança de escanteio. Aos 13, veio o segundo, após boa tabela, concluída pelo volante Thiago Maia. Ele invadiu a área e bateu firme.

Apesar de jogar fechado, o Avaí estava assustado, encurralado. Mas o Santos cometeu o erro de diminuir o ritmo, tentando atrair o adversário para contra-atacar em velocidade. O problema foi que os catarinenses não morderam a isca. Mantiveram-se atrás e ainda melhoraram a marcação. Com isso, e como o time da casa passou a afrouxar, o Avaí tomou coragem e passou a investir em passes longos. Em um deles, a zaga santista vacilou na marcação e o estreante Léo Gamalho bateu cruzado para diminuir.

O Santos, então, tentou retomar o controle do jogo, mas, apesar de maior volume, encontrou um adversário bem posicionado. Ainda assim, Ricardo Oliveira teve outras duas boas oportunidades, mas não conseguiu concluí-las em gol. O Avaí continuou criando chances, tanto que terminou a etapa com o mesmo número de finalizações do Santos: sete.

O papo com Dorival Júnior no intervalo serviu para o Santos acordar. E ainda por cima o terceiro gol saiu rapidamente, com apenas dois minutos. Geuvânio deu ótimo passe para Ricardo Oliveira, que penetrou e bateu rasteiro, com raiva.

Foi o 11.º gol do artilheiro do campeonato, que no entanto não comemorou. Foi sua forma de protestar contra as críticas da torcida pelo fato de ele ter perdido dois pênaltis recentemente – e também pelas chances que desperdiçou na etapa inicial da partida deste sábado.

Vitória garantida, Dorival Júnior deu um descanso a Geuvânio e o trocou por Marquinhos Gabriel aos 13 minutos. Logo depois saiu Ricardo Oliveira (aplaudido). Gabriel também foi poupado. Mas ainda deu tempo para Nilson marcar o quarto, para Léo Gamalho diminuir de novo e para Lucas Lima fazer o quinto. Fez o gol num pênalti inexistente (ele tropeçou e caiu na área, mas o árbitro gaúcho Leandro Pedro Vuaden marcou). Mas, pelo que o Santos fez, mereceu chegar à goleada.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 5 x 2 AVAÍ

SANTOS – Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia, Renato, Lucas Lima e Geuvânio (Marquinhos Gabriel); Gabriel (Leandro) e Ricardo Oliveira (Nílson). Técnico: Dorival Júnior.

AVAÍ – Diego; Nino Paraíba, Jéci, Antônio Carlos e Marrone (Romário); Adriano, Tinga (Roberto), Pablo e Néstor Camacho; Rômulo (Conrado) e Léo Gamalho. Técnico: Gilson Kleina.

GOLS – Gabriel, aos 10, Thiago Maia, aos 13, e Léo Gamalho, aos 28 minutos do primeiro tempo; Ricardo Oliveira, aos 2, Nilson, aos 35, Léo Gamalho, aos 37, e Lucas Lima (pênalti), aos 48 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Geuvânio (Santos); Adriano, Jéci e Romário (Avaí).

ÁRBITRO – Leandro Pedro Vuaden (Fifa/RS).

RENDA – R$ 289.880,00.

PÚBLICO – 12.036 pagantes.

LOCAL – Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP).