O goleiro Rogério Ceni completou nesta segunda-feira 19 anos de quando foi aprovado no teste para ser jogador do São Paulo, em 7 de setembro de 1990. No último domingo, na vitória de 2 a 1 sobre o Cruzeiro, pelo Campeonato Brasileiro, o ídolo chegou a 861 partidas pelo time.

“É uma marca muito especial. Manter-se tantos anos num clube tão grandioso como é o São Paulo é motivo de muito orgulho”, afirmou Rogério, em entrevista publicada nesta segunda-feira no site oficial do São Paulo.

Rogério Ceni lembra que começou no São Paulo, aos 17 anos de idade, em uma época bem diferente da de hoje.

“Era tudo mais simples, não tinha esse negócio de empresários colocar (jogador) em times, dividir porcentagem do passe. Era fazer o teste, passar ou reprovar e começar a treinar”, disse o goleiro, que lembrou das dificuldades que passou quando veio de Sinop, no Mato Grosso, para morar em São Paulo.

“Valorizo muito os momentos difíceis que passei. Vindo de Sinop não foi fácil morar sozinho em São Paulo, ficar no alojamento. Precisei ter muito juízo. Talvez por isso tenha chegado onde cheguei”, analisou Rogério.

Rogério estreou na equipe profissional em 1994, mas assumiu a posição de titular somente em 1997. De lá pra cá, acumulou títulos importantes como os da Libertadores e do Mundial de Clubes de 2005, além do tricampeonato brasileiro com as conquistas de 2006, 2007 e 2008. Apesar disso, no alto dos seus 36 anos de idade, ainda se diz motivado para ganhar mais taças.

“Não estou satisfeito com o que já conquistei, quero mais, sei que o São Paulo vive de títulos, de vitórias, e para fazer parte deste clube você tem que buscar isso”, justificou o goleiro.

Hoje realizado no São Paulo, Rogério ainda exaltou o significado do clube para ele, colocando-o em primeiro plano. “O São Paulo não é apenas meu emprego, o clube onde eu jogo. Eu vivo em função do São Paulo. É minha vida. Essa identificação que tenho é muito significativa. Falar de Rogério e associar o São Paulo é uma conquista enorme, imensurável”, completou.