Depois de ter desistido de disputar um jogo de exibição contra o francês Lucas Pouille na última terça-feira, por causa de dores no quadril, Andy Murray alegou o mesmo problema para anunciar que não poderá estar presente em uma partida do mesmo caráter que estava programada para acontecer nesta sexta, quando esperava poder usar o confronto como preparação para Wimbledon, Grand Slam que começa na próxima semana.

Líder do ranking mundial, o tenista britânico assim preocupa os seus fãs antes de começar a defender a condição de atual campeão do tradicional torneio realizado em quadras de grama em Londres. Ele desejava participar destes dois confrontos no Aspall Tennis Classic, um evento de exibição que ocorre no Hurlingham Club, também na capital inglesa, para ganhar ritmo de jogo, mas viu seus planos serem prejudicados pelas insistentes dores em seu quadril.

“Infelizmente eu não estarei pronto para jogar no Hurlingham amanhã, meu quadril ainda está dolorido e preciso descansá-lo hoje e provavelmente amanhã”, informou o número 1 do mundo, por meio de um comunicado oficial.

Fora de suas condições físicas ideais, Murray foi surpreendentemente eliminado em sua estreia no Torneio de Queen’s, ATP 500 realizado na semana passada, em Londres, onde defendia a condição de principal favorito ao título e esperava ganhar a competição em quadra de grama para ganhar embalo para Wimbledon.

Entretanto, o britânico foi batido pelo australiano Jordan Thompson, hoje o 86º colocado da ATP, por 2 sets a 0, no jogo que acabou sendo o seu único durante a temporada de grama que tem como principal objetivo a disputa de Wimbledon.

Antes disso, Murray ampliou o seu jejum de títulos em Roland Garros ao cair nas semifinais diante do suíço Stan Wawrinka nas semifinais do Grand Slam francês, no início de junho, no final da temporada de saibro.