A reunião virtual entre a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e os 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro teve discussão, brigas e conversas sobre outros temas. Só não teve um acerto sobre a volta ou não das torcidas aos estádios, que era o motivo do encontro.

De acordo com o jornal O Globo, o bate-boca foi primeiramente entre o presidente do Athletico, Mario Celso Petraglia, e o presidente da Ferj (Federação de futebol do Estado do Rio de Janeiro), Rubens Lopes, que em seguida discutiu com Rogério Caboclo, presidente da CBF. Na briga, Petraglia até citou o número de governadores do Rio de Janeiro que estão presos.

O tom subiu e a votação não pôde seque ser iniciada. Caboclo até tentou retomar o diálogo, mas Lopes apontou que a reunião não tinha validade e dificultou o andamento da reunião, que precisou ser adiada pelo secretário-geral da CBF, Walter Feldman.

+ Confira a classificação completa do Brasileirão!

Entre outros assuntos, foram abordados um número mínimo de jogadores à disposição para os jogos, que também não teve uma definição em relação a isso, e que os clubes podem inscrever mais atletas no Brasileirão. Antes o número de inscritos era 40, passando para 50.

+ Mais do futebol paranaense:

+ Secretário da Saúde do Paraná barra volta da torcida aos estádios
+ CBF divulga balanço de casos de Covid-19 no Brasileirão


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?