Comandante do Paraná Clube no revés sofrido para o Vitória por 1×0, na noite de quarta-feira (18), no Barradão, por conta da suspensão do técnico Rogério Micale, o auxiliar Ademir Fesan minimizou o resultado negativo colhido em Salvador. Segundo ele, o time paranista deixou o campo com o sentimento de que poderia ter saído pelo menos com o empate, mas confia na recuperação para seguir na luta contra o rebaixamento.

“O sentimento lá dentro (do vestiário) é de que realmente perdemos o jogo e que poderíamos ter saído daqui pelo menos com um empate. Isso é bom. É um sentimento importante. Tem muita coisa para acontecer ainda. Acreditamos ainda no nosso objetivo e bola para frente”, apontou Fesan.

Diante do Vitória, o Tricolor teve uma atuação abaixo da média no primeiro tempo. Apenas se defendeu e viu os donos da casa dominarem os primeiros 45 minutos de partida. Segundo Fesan, a atuação ruim do Paraná Clube foi mérito do rubro-negro baiano, que soube neutralizar o time paranista.

“Foi mérito do Vitória, que soube jogar em casa. Subiu o bloco de marcação, tiveram bastante posse de bola e acabou obrigando nosso time a marcar e jogar apenas pelo contra-ataque. Aí o gol vai amadurecendo. Em uma infelicidade, de bola parada, em um bate-rebate, acabamos tomando o gol. Foi importante que depois corrigimos, acertamos e aí fica a lição de que você, mesmo fora de casa, em alguns momentos precisa se impor e jogar mais de igual para igual”, reforçou.

O duelo em Salvador era de seis pontos, já que o Tricolor poderia ultrapassar o rival na classificação e deixar a zona de rebaixamento. Apesar do revés, o auxiliar ainda confia que o Paraná Clube pode dar a volta por cima, especialmente nos próximos confrontos diretos que tem pela frente, a começar pelo embate diante do América-MG, domingo (22), às 16h, na Vila Capanema.

Confira a classificação completa do Brasileirão

“Tem muita coisa para acontecer. Acreditamos bastante nos confrontos diretos que ainda vai pegar no primeiro turno. Em alguns casos tem a ida e a volta desses confrontos. É seguir em frente. Não tem muita coisa a fazer. É pensar na frente e ir em busca do objetivo”, concluiu Fesan.