O Paraná Clube provou, na derrota por 1×0 para o Vitória, ontem à noite, no Barradão, em Salvador, porque tem o pior ataque do Campeonato Brasileiro. O time paranista, apesar da importância da partida e por se tratar de um duelo de seis pontos na luta contra o rebaixamento, produziu muito pouco e acabou sucumbindo diante do rubro-negro baiano. Jogou apenas nos 15 minutos finais e, nas poucas chances que criou, ainda não teve a eficiência necessária para evitar o revés na capital baiana.

“Não pode (perder as chances). A gente vem de um primeiro tempo muito ruim, melhora no segundo tempo e, quando cria a chance, tem que definir. O Vitória, na única chance que teve, apesar de ter mais posse de bola no primeiro tempo, fez o gol. Na chance que a gente tiver tem que matar. Não dá para perder ponto para concorrente direto”, apontou o volante Leandro Vilela.

O atacante Silvinho, artilheiro paranista no Brasileirão com três gols marcados, foi protagonista de uma das boas chances perdidas pelo Paraná no jogo. Ao receber cruzamento de Carlos Eduardo, o camisa 11 errou a cabeçada livre na pequena área e culpou o refletor do Barradão pelo insucesso da sua conclusão.

“Foi pura infelicidade minha. O refletor acabou me cegando. Não enxerguei a bola e ela pegou no ombro. O Alemão, na chance que teve, não chapou certo. Foi uma infelicidade minha, mas é continuar lutando e não vai ser agora que vamos desistir. Temos outro confronto em casa (contra o América-MG)”, emendou o atacante paranista.

O Paraná, na verdade, conseguiu pressionar o Vitória apenas no fim. Muito pouco para quem ainda não conseguiu sair da zona de rebaixamento e precisava pelo menos de um empate diante de um concorrente direto na luta contra a degola. “A gente começou meio desligado, meio com sono. No segundo tempo a gente melhorou, teve as duas chances, mas faltou caprichar mais, porque Brasileiro é isso, quando tiver uma chance tem que matar”, reforçou o lateral-direito Júnior.

Confira a tabela e a classificação do Brasileirão!

Durante toda a partida, o Paraná teve algumas oportunidades em jogadas de bolas paradas, mas não conseguiu executar bem o que foi ensaiado durante as quase quatro semanas da intertemporada. O atacante Silvinho confia na volta por cima do time paranista no Campeonato Brasileiro. Para isso, terá que melhorar ofensivamente, já que marcou apenas sete gols em 13 partidas.

“Tentamos algumas jogadas de apoio. Quando joga o Thiago (Santos), ele procura segurar a bola. Hoje (ontem) não conseguimos segurar com tanto êxito como a gente trabalhou. Não porque não deu certo é que temos que desistir. Para você fazer a jogada ensaiada é trabalho, persistindo. Quando entrar, o pessoal que está cornetando hoje e falando que não ensaiamos direito, vai elogiar”, concluiu o centroavante do Tricolor.