Maurílio reaparece hoje na
equipe titular do Paraná.

Mesmo impedido de jogar em casa – o clube foi punido com perda de mando de dois jogos -, o Paraná Clube encara o Vasco da Gama, hoje, às 16 horas, em Florianópolis, na condição de favorito.

Com vantagem de oito pontos sobre o adversário, o tricolor mantém invencibilidade de cinco jogos e o técnico Saulo de Freitas conseguiu resgatar o futebol prático e eficiente do primeiro turno. O resultado: muitos gols.

O representante paranaense tem a terceira maior artilharia do Brasileirão, com 70 gols (média de 1,84 gol/jogo), atrás apenas de Cruzeiro e Santos. Renaldo segue na perseguição a Luís Fabiano (São Paulo) e Dimba (Goiás), ainda confiante na possibilidade de conseguir pela segunda vez na carreira o título de maior artilheiro do Brasil. Mesmo sem contar com a eficiência defensiva de Fernando Miguel e a criatividade de Marquinhos, o Paraná terá, ao menos na teoria, uma postura ofensiva.

Esta vem sendo a marca da equipe desde que Saulo reassumiu o comando do time. Na partida da última quinta-feira, em Belo Horizonte, o tricolor teve um bom comportamento, rasgando o rótulo de “time caseiro”. A campanha fora de casa ainda não é expressiva, mas a equipe dá sinais de ter atingido o equilíbrio exigido por Saulo.

Émerson e Maurílio entram no meio-de-campo e o perfil tático não sofre profundas alterações. Mesmo tendo características ofensivas, Émerson deve ficar mais fixo à marcação, protegendo ao lado de Pierre os avanços dos laterais. Valentim vive seu melhor momento e é peça chave no esquema tricolor, apoiando com qualidade e executando cruzamentos certeiros para Renaldo.

A troca de Marquinhos por Maurílio provocará uma adaptação na articulação ofensiva. Atacante de origem, Maurílio terá que se encaixar no ritmo de rodízio com Caio e Fernandinho. Essas constantes trocas de posição têm dificultado a marcação adversária e facilitado as ações ofensivas. É mais uma chance para Maurílio comprovar, em campo, que superou a “crise” que culminou com a redução de seu salário. “Tenho trabalhado forte e não desisti de voltar a ser titular”, assegurou o jogador. Maurílio tem entrado em quase todos os jogos e contra o Inter até fez gol.

Um resultado positivo hoje à tarde pode valer ao Paraná o oitavo lugar no Brasileirão. Para isso, além de vencer o Vasco, o tricolor precisa torcer para que Criciúma e Guarani não vençam seus jogos – contra Fortaleza e Goiás, respectivamente. Nas contas da comissão técnica, o Paraná precisa vencer pelo menos quatro dos oito jogos que ainda disputa para garantir uma das vagas à Copa Sul-Americana.

Edmundo chia e gera nova crise

Bruno Lousada

Rio (AE) – Para o Vasco, o fato de jogar fora de casa já é alarmante: o time só venceu uma partida, contra o Fortaleza, por 1 a 0, há seis meses. Para complicar ainda mais, o clima entre os jogadores não anda muito bom.

Motivo: após o empate por 1 a 1 contra o próprio Fortaleza, na quinta-feira, em Manaus, o atacante Edmundo disparou contra os companheiros de equipe. “O time é muito ruim. Não vai ganhar de ninguém”, disse.

O técnico Mauro Galvão acha que o craque não está rendendo o que todo mundo espera dele. Para essa partida, o treinador tem diversos problemas: o lateral-esquerdo Edinho, Régis Pitbull e o meia Beto estão machucados e podem desfalcar a equipe.

Para variar, Mauro Galvão continua reclamando da desatenção da defesa, que mais uma vez falhou no gol de empate do Fortaleza, irritando o exigente treinador.

CAMPEONATO BRASILEIRO

PARANÁ CLUBE x VASCO DA GAMA

PARANÁ: Flávio; Valentim, Cristiano Ávalos, Ageu e Fabinho; Pierre, Émerson, Maurílio e Fernandinho; Caio e Renaldo. Técnico: Saulo de Freitas.

VASCO:

Fábio; Alex Silva, Henrique, Wescley, Edinho (Claudemir); Da Silva, Ygor, Beto (Rodrigo Souto); Régis (Danilo), Valdir e Edmundo. Técnico: Mauro Galvão.

SÚMULA
Local: Orlando Scarpelli (Florianópolis).
Horário: 16h.
Árbitro: Marcos Antônio Barros Café (DF).
Assistentes: Renato Miguel Vieira (DF) e Marrubson Melo Freitas (DF).