Paulo Sérgio / Jornal dos Sports
Galvão tenta pelo alto,
mas Júnior Baiano sobe mais.

O tabu foi ralo abaixo. Impreciso na marcação e inoperante no ataque, o Paraná Clube voltou à penúltima colocação do campeonato brasileiro ao perder para o Flamengo, por 2×1, ontem à tarde, no Maracanã.

Num jogo de “seis pontos”, o Tricolor cometeu muitos erros e o castigo veio com o artilheiro Dimba, autor dos dois gols que tiraram, momentaneamente, o time carioca da “zona de rebaixamento”. O retrospecto favorável – em quatro jogos contra o Mengo, no Maracanã, tinha aproveitamento máximo, desta vez, não fez a diferença.

No embalo da goleada aplicada no Vitória, o Paraná teve um bom início de partida. Bem postado no meio-de-campo, tinha como trunfo as jogadas pelos flancos, com Etto e Maranhão na direita e Vicente e Fernando na esquerda. Explorando os espaços deixados por Valentim e Júnior Baiano, o Tricolor deixou a falsa impressão que abriria o placar até com facilidade. O Flamengo até ameaçou com Júnior Baiano, que cabeceou a bola no ângulo esquerdo. Flávio impediu o gol com a ponta dos dedos. Mesma precisão, o goleiro não apresentou pouco depois.

Whelliton chutou de fora da área, Flávio soltou e Dimba foi rápido para “de carrinho” empurrar para as redes. O Tricolor “acusou o golpe”. Como já ocorrera em jogos anteriores, o time se desarticulou e passou a viver de lances isolados. Esbarrou na bem armada zaga do Flamengo e insistiu em cruzamentos para a área, “consagrando” Júlio César, Júnior Baiano e Fabiano Eller. O centroavante Galvão foi facilmente contido pela defesa adversária. Mesmo assim duas oportunidades para o empate foram desperdiçadas.

Na fase final, com Marcel no meio-de-campo, o Paraná não teve tempo para “respirar”. Logo aos 3 minutos, Dimba recebeu assistência de Whelliton e “fuzilou” Flávio. Excessivamente lento, o time de Gilson Kleina pouco criou, principalmente após a saída de Maranhão. Mas, aos 25 minutos, Cristian fez um golaço. O meia, de falta, mandou a bola no ângulo de Júlio César, que nada pode fazer. Um raro momento de “beleza”, em um jogo muito fraco. Só que a esperada reação não foi posta em prática.

O time adiantou a marcação, mas foi pouco objetivo e Sinval entrou no mesmo ritmo de Galvão. Os dois atacantes pouco pegaram na bola e, quando tentou, Sinval deu um chute fraquinho, beirando o ridículo. Um retrato fiel de um duelo entre candidatos reais ao descenso.

CAMPEONATO BRASILEIRO
26ª RODADA
FLAMENGO 2×1 PARANÁ CLUBE

FLAMENGO: Júlio César; Valentim, Júnior Baiano, Fabiano Eller e Júlio Moraes (Roger); Da Silva, Ibson, Felipe (Júnior) e Zinho; Whelliton (Juliano) e Dimba. Técnico: Andrade.

PARANÁ: Flávio; Etto, Fernando Lombardi, Nelinho e Vicente; Éverton César, Beto (Marcel), Fernando e Cristian (Alex Silva); Maranhão (Sinval) e Galvão. Técnico: Gilson Kleina.

SÚMULA
Local
: Maracanã (Rio de Janeiro).
Árbitro: Edílson Pereira de Carvalho (FIFA-SP).
Assistentes: Émerson Augusto de Carvalho (SP) e Nilson de Souza Monção (SP).
Renda: R$ 75.712,00.
Público: 6.595 (total).
Gols: Dimba a 13′ do 1º tempo. Dimba a 13′ e Cristian a 25′ do 2º tempo.
Cartão amarelo: Éverton César.