Ao contratar Ney Franco, o São Paulo também aproxima os jovens jogadores da equipe de um treinador que os conhece bem.

Desde dezembro de 2010, quando assumiu como técnico da seleção sub-20 e virou coordenador das categoria de base na CBF, Ney Franco sempre confiou nos são-paulinos em suas escalações.

Já no Sul-Americano do Peru, em 2011, torneio que garantiu o Brasil na Olimpíada de Londres, o título veio com grande atuação do meia Lucas, destaque ao lado de Neymar.

Depois, no Mundial da categoria, o zagueiro Bruno Uvini foi o capitão, o volante Casemiro e o atacante William José titulares e Henrique, então centroavante são-paulino, foi artilheiro e eleito melhor jogador da competição da Colômbia.

Desde então, ele também chamou o zagueiro Luiz Eduardo e o atacante Lucas Gaúcho, que já deixou o clube, em outras convocações.

O quinto e último título de Ney Franco na seleção sub-20 veio na última semana, no Torneio Quadrangular, na Argentina. Lá, contou com o volante e lateral Henrique Miranda (que também esteve no Pan de Guadalajara), o atacante Ademílson, o meia e lateral Rodrigo Caio e volante João Felipe.

Segundo a CBF, o treinador pediu demissão de seus cargos na entidade para assinar contrato até o fim de 2013 com o clube do Morumbi.

Desde que José Maria Marin assumiu a presidência da CBF, no entanto, o São Paulo se reaproximou da entidade. Tanto que o centro de treinamento de Cotia, usado pelas categorias de base do São Paulo, é hoje o preferido da cúpula da CBF para abrigar o time nacional na Copa-2014.

A seleção brasileira vai treinar lá na primeira semana de setembro, antes dos amistosos contra África do Sul (Morumbi) e China (provavelmente em Recife).

A chegada de José Maria Marin à presidência da CBF mudou para muito melhor o status do São Paulo.

“Eu não sou apenas torcedor, eu fui jogador e sou sócio do São Paulo. Mas sou o presidente de todos os clubes”, disse Marin.

Ney Franco chega para o lugar de Emerson Leão, demitido no último dia 26, e deve ser apresentado sábado.