O Grêmio anunciou que assinou, na tarde desta quarta-feira, um acordo com a TV Globo para ceder à emissora o direito de transmitir os jogos da equipe no Campeonato Brasileiro entre 2012 e 2014. Com isso, o time foi o primeiro dissidente do Clube dos 13 a firmar oficialmente um contrato com o canal para as próximas edições do torneio nacional.

Por meio de nota publicada em seu site oficial, o Grêmio não revelou detalhes sobre o acordo, que foi firmado na sede do clube em uma reunião que contou com o diretor geral da Globo Esporte, Marcelo Campos Pinto, e dirigentes gremistas.

O presidente do Grêmio, Paulo Odone, prometeu revelar, ainda nesta quarta-feira, detalhes do contrato firmado com a Globo, mas especulasse que o clube receberá R$ 5 milhões mensais pelos direitos de transmissão de todos os confrontos da equipe no Brasileirão a partir de 2012.

O clube gaúcho foi um dos dez clubes que anunciaram a decisão de negociar os direitos de transmissão de TV de seus jogos sem a participação do Clube dos 13. Além do Grêmio, Corinthians, Botafogo, Flamengo, Fluminense, Vasco, Coritiba, Cruzeiro, Palmeiras e Santos resolveram agir separadamente da entidade.

A Globo, por sua vez, desistiu da licitação do Clube dos 13 pelos direitos de transmissão em TV aberto do Brasileirão entre 2012 e 2014. Na última sexta-feira, a Rede TV! festejou o fato de ter vencido o processo de licitação. Na ocasião, o presidente do Clube dos 13, Fábio Koff, anunciou que a emissora ofereceu R$ 516 milhões por temporada, o que equivale a um total de R$ 1,548 bilhão pelos três anos da principal competição do futebol nacional.

A vitória da Rede TV!, porém, ainda não tem valor prático, já que os clubes precisam assinar um documento para ceder os direitos de transmissão de suas partidas, e isso não deve ocorrer devido ao conflito com o Clube dos 13. E a RedeTV! também ressaltou que só desembolsará os valores que prometeu se tiver o direito de transmitir as partidas de todos os times do Brasileirão.

Já a Record também abandonou o processo de licitação do Clube dos 13 horas antes da abertura das propostas pelos direitos de transmissão da competição.

Cada vez mais enfraquecido, o Clube dos 13 defende que o seu estatuto lhe permite negociar os direitos de transmissão de todos os clubes que estão filiados à entidade. Assim, o imbróglio pode ser definido apenas na Justiça.