Santos – Com um time mais experiente, o Santos estréia hoje na Libertadores da América jogando contra o Jorge Wilsterman, em Cochabamba, Bolívia. O técnico Leão exigiu respeito ao time que seu jogadores praticamente não conhecem. “O adversário está classificado para a final de um torneio boliviano, está motivado para jogar contra um Santos e temos de tomar cuidado, pois sei das dificuldades de jogar lá”. Além disso, advertiu os atletas para o problema da altitude de 2.600 metros da cidade.

Para esse jogo, o Santos não terá Robinho, que permaneceu em Santos fazendo tratamento fisioterápico para se recuperar das dores musculares nas pernas. O atacante deverá ser substituído por Basílio. Essa, porém, não será a única alteração no time santista: Doni será o goleiro titular e Leão mandou Júlio Sérgio para o banco. Há ainda uma dúvida no meio-de-campo e a tendência é que o treinador escale o volante Claiton no lugar de Paulo Almeida, que falhou no segundo gol palmeirense no clássico de domingo passado.

Leão entende que as dificuldades de seu time nesta Libertadores serão maiores do que as do ano passado, apesar de mais experiente. “Nós somos mais conhecidos agora e temos cinco equipes do Brasil que se equivalem”, disse o treinador, completando. “Os adversários de fora estão espertos e nós precisamos derrubá-los”. Leão destaca o problema da altitude. “Inegavelmente, o time está mais preparado, isso ajuda, mas será mais difícil.”

Comparando a equipe atual com a do ano passado, Leão destacou que o time também era muito motivado e queria mostrar que os jovens também sabem disputar a Libertadores. “Eles provaram que sabem e nós substituímos o nosso banco para melhor”, disse ele, reclamando mais uma vez da falta de um segundo centroavante de ofício. “Ainda não tenho esse homem e estou todo dia pedindo.”

Quanto à competição, o treinador vai jogar com o regulamento, que prevê a classificação do primeiro colocado de cada grupo e outro por índice técnico. “Sei que quanto mais ponto você somar, ou classifica ou entra por índice técnico. Por isso, temos sempre que pensar na vitória, mas sabendo que às vezes um empate, em determinadas circunstâncias, pode ser um bom resultado.” Mas advertiu: “vamos jogar sempre pelos três pontos”.