O Coritiba volta aos treinamentos nesta quinta-feira (20), depois de quase dez dias de folga, com dúvidas e pendências que precisam ser resolvidas. Nenhum reforço foi contratado neste período, mas o executivo de futebol do clube, Rodrigo Pastana, não descartou a chegada de novos jogadores para a continuidade da disputa da Série B. O cartola garantiu que o Coxa está atento e de olho em boas oportunidades que possam surgir na sequência da temporada.

“Na verdade sempre existe a possibilidade de reforços ou de o Coritiba aproveitar grandes oportunidades de negócios. Todos sabem da dificuldade de orçamento que o Coritiba tem esse ano. Concordo com a torcida que os números estão abaixo do que a gente gostaria, mas discordo sobre a performance. Tivemos, sim, uma performance razoável nesses oito jogos e que poderíamos ter transformado em mais pontos”, analisou Pastana, em entrevista à Rádio Banda B.

+ Leia também: Quem poderia reforçar o Coxa na Série B?

Se jogadores podem chegar, outros podem deixar o Alviverde nos próximos dias. O zagueiro Alan Costa, que teria se recusado a viajar para Campinas para o duelo diante do Guarani, o último antes da parada para a Copa América, deve ser negociado. O defensor, que fez 23 jogos neste ano, todos como titular, desmentiu a informação dada pela diretoria e deve entrar em um acordo com o clube.

“Infelizmente, assim como os torcedores e todos vocês, também fomos pegos de surpresa. Nós estamos decidindo o melhor caminho, de forma amigável e jurídica, para que a gente resolva isso o quanto antes. A forma como ela será resolvida, claro, vocês vão saber só mais para frente, porque é uma decisão interna e que tem que ser devidamente respaldada pelo departamento jurídico”, informou o dirigente.

+ Mais na Tribuna: Giovanni ainda tenta provar que pode ser decisivo no Coritiba

Pastana também avaliou esses primeiros oito jogos do Coritiba na Série B. Segundo ele, problemas físicos e lesões de alguns jogadores importantes acabaram impedindo que o Coxa tivesse uma campanha mais regular nesse começo da competição nacional.

+ Confira a classificação completa da Série B

“A grande dificuldade foram os problemas físicos e as lesões de alguns atletas. Geraram uma oscilação que não foi tão grande, mas que nos custou alguns pontos. Claro que com mais quatro ou cinco pontos estaríamos no G4 e ninguém estaria falando disso. E aí, talvez alguns problemas fossem disfarçados e jogados para debaixo do tapete. Não é o meu perfil. Considero que tivemos problemas, mas estamos em correção desses mesmos problemas. Essa parada vai servir para que ache a linha de trabalho condizente com o tamanho do Coritiba. Isso que eu espero e que fisicamente, tecnicamente e taticamente as oscilações acabem e a gente volte ao caminho natural do acesso”, concluiu.