Uma das principais contratações para a temporada de 2019, o meia Giovanni ainda não conseguiu se firmar no Coritiba. O jogador chegou com cartaz, assumiu a responsabilidade e vestiu a camisa 10 coxa-branca. Recebeu, na sua chegada, a chancela de Alex, ídolo do Verdão e o último grande armador que passou pelo clube. O início da sua trajetória na equipe até foi promissor, mas faltou sequência e, especialmente na Série B do Campeonato Brasileiro, ele não tem conseguido manter uma regularidade.

Giovanni chegou depois de ser um dos principais nomes do Goiás na campanha do acesso na segunda divisão do ano passado. Foi um dos líderes em assistências do torneio e todos esses fatores fizeram a diretoria do Alviverde acreditar que o atleta poderia ser o maestro da equipe em 2019.

+ Leia também: CBF divulga dias e horários de sete rodadas da Série B

No início da sua trajetória, na disputa do Campeonato Paranaense, Giovanni viveu seus melhores momentos. Não dá para negar que o jogador dá um toque refinado ao meio de campo e provou isso no Estadual. Deu assistências e marcou seus únicos dois gols pelo Verdão nos duelos contra Cianorte, fora de casa, e FC Cascavel, no Couto Pereira.

No meio do caminho, o meia não suportou a sequência de jogos e acabou se machucando. Demorou para engrenar novamente e voltou a ter uma sequência entre os titulares no início da Série B. Mas as atuações ainda estão abaixo do esperado. O armador não é nem de perto aquele que se destacou pelo Goiás.

+ Mais na Tribuna: Coritiba vai inaugurar loja em grande shopping

Especialmente nas partidas realizadas no Couto Pereira, o jogador vem sofrendo uma pressão a mais do torcedor. O camisa 10, contratado para resolver os problemas do setor de criação, chegou a ser vaiado e bastante contestado pelos coxas-brancas. Mas, pelo menos publicamente, ele já provou que não tem se abalado com as críticas e, mesmo irregular, segue sendo o principal armador do elenco.

+ Viu essa? Coritiba valoriza Brasileirão de Aspirantes e traz reforços pro torneio

A falta de opções de qualidade para o setor impossibilitam o técnico Umberto Louzer de mexer nesta posição. No início da Segundona, o meia Thiago Lopes teve bons momentos no time, mas acabou se machucando e voltou a ficar à disposição recentemente, podendo brigar pela posição nesta intertemporada.

Neste começo de Série B, quando Giovanni não deu a resposta esperada, o treinador achou em Juan Alano a solução para o setor de criação. Foi ali, inclusive, que o jogador teve seus melhores momentos até agora na competição e pode ser uma peça importante para a sequência da temporada.

Mas, independentemente dessa fase de oscilação neste começo da Série B, Giovanni seguirá como a grande esperança do meio de campo do Coritiba para conseguir conquistar o acesso. A parada para a Copa América pode ser importante para ele se reencontrar e passar a ser decisivo daqui em diante.