Os seis jogadores do Coritiba que, depois do clássico Paratiba foram vistos em um festival sertanejo foram bastante cobrados pela torcida antes e durante do duelo contra o Guarani, na noite de terça-feira (8), no Couto Pereira, pela Série B do Campeonato Brasileiro. A vitória por 1×0 amenizou um pouco o clima entre time e torcida, mas três dos envolvidos quebraram o silêncio e se pronunciaram sobre esse episódio.

Essa polêmica desencadeou uma série de protestos antes e durante a partida contra o Guarani. Na chegada da delegação ao Couto Pereira, os jogadores foram cobrados pelo torcedor. O meia Giovanni, que foi talvez o mais xingado dentre todos, mas não entrou em campo, se propôs a fazer um pronunciamento para pedir desculpas à torcida do Coritiba.

+ Confira como foi o jogo no nosso Tempo Real!

“Estou aqui com vocês que é a forma de eu chegar mais próximo do torcedor para pedir desculpas para eles pela situação de sábado. Em nenhum momento quis desrespeitar a instituição. Eu e meus companheiros que estávamos no lugar, não queríamos ir, mas a gente estava acompanhado de esposas, de família. Erramos e estou aqui para pedir desculpas. Isso não vai se repetir. A torcida frisou mais em mim, mas em campo nunca faltou vontade, determinação minha. Escolhi vir para cá, sei do tamanho dessa camisa e vim pelo projeto de colocar esse clube na primeira divisão. Quando erra tem que ter humildade, venho pedir desculpa e de mim podem esperar muita vontade, luta e determinação”, afirmou.

A festa de Giovanni e Robson. Foto: Albari Rosa
A festa de Giovanni e Robson. Foto: Albari Rosa

O camisa 10 também comentou sobre a conversa que aconteceu entre os próprios jogadores. Não apenas o episódio do show sertanejo, mas houve uma cobrança sobre a derrota sofrida para o Paraná. “Com todo respeito ao Paraná, mas a gente não podia ter perdido aquele jogo em dez minutos. A gente tinha que dar chegada neles. Que chore a mãe deles e não a nossa. A gente se cobrou e tivemos outra atitude contra o Guarani”, emendou o camisa 10.

+ Leia também: Torcedores são presos por confusão no Paratiba

Robson marcou o gol da vitória do Coritiba aos 22 minutos do primeiro tempo. O centroavante desabafou na comemoração, colocou a mão no ouvido e extravasou. O camisa 30 destacou a importância da vitória e explicou sobre o episódio que indignou o torcedor do Coxa nas redes sociais.

“Perdemos o clássico, a gente não queria, mas aconteceu. Entrega, raça e determinação em campo nunca faltaram. Fora daqui eu tenho uma vida, todos os jogadores têm. Fui com minha esposa, sem problema. Não era o momento. A gente tem vida e os torcedores precisam entender que somos humanos, que, querendo ou não faz parte. Todos merecem ter vida fora do time. Mas agora é manter os pés no chão, ter cabeça tranquila porque tem muito campeonato ainda”, explicou Robson.

+ Confira a classificação da Série B

Rafinha, que apesar de ser um ídolo do torcedor alviverde, também se envolveu nesse episódio, deu a resposta dentro de campo. Foi o melhor jogador em campo e fundamental na conquista da vitória sobre o Guarani. Conquista de todo o grupo que, segundo ele, conseguiu se unir diante das adversidades para somar os três pontos.

“A disposição foi o que faltou no clássico nos primeiros 30 minutos. Entramos desligados e acabamos sofrendo os dois gols. Depois aconteceram algumas coisas. Infelizmente no futebol é assim. Na nossa vida pessoal temos que abdicar de muita coisa. Você não pode fazer muita coisa quando perde. Parabéns a todo mundo pela vitória importante. Parabéns para o grupo que se uniu e se fechou para conseguir a vitória. Esse grupo merece”, arrematou o camisa 7 alviverde.