Passada a euforia pelo acesso, o Coritiba começa a pensar na próxima temporada a partir desta semana. A diretoria alviverde precisa acertar as continuidades do técnico Jorginho e do executivo de futebol Rodrigo Pastana.

A ideia da cúpula coxa-branca é de sentar com os profissionais até sexta-feira para conversar e alinhar as renovações. O treinador espera uma valorização salarial, já que está recebendo menos do que na época da Ponte Preta, enquanto o dirigente também deve adequar seu vencimento com a subida do time.

“Essas conversas vão começar a partir de agora, mas posso dizer ao torcedor que acredito em um trabalho de longo prazo e na continuidade dos trabalhos. E, dentro do Coritiba, vou me esforçar para que os profissionais continuem”, afirmou o presidente Samir Namur.

Com a definição da dupla, o elenco passa a ser o foco principal e metade do grupo não tem contrato para o ano que vem, como o goleiro Alex Muralha, o zagueiro Sabino, os meio-campistas Matheus Sales, Juan Alano e Giovanni e o atacante Robson. Do time titular que garantiu o acesso contra o Vitória, na última rodada, apenas o zagueiro Nathan Ribeiro, o meia-atacante Rafinha e o centroavante Igor Jesus estão garantidos no ano que vem.

“Um time que sobe pode de, alguma forma, ser base para um bom ano de Série A, mas esse time, esse elenco não é suficiente. É preciso reforçar, elevar o patamar financeiro, de gastos e isto vai acontecer. É claro que a gente busca manter os principais elementos deste time, manter uma base para o ano que vem e reforçar bastante”, avaliou o mandatário do Coxa.

Tanto Namur quanto Jorginho, empolgados com o retorno à elite do futebol brasileiro, falaram em sonhos maiores na temporada que vem. O técnico chegou até a falar em brigar por uma vaga na Libertadores, competição que o clube não disputa desde 2004.

O retrospecto, contudo, tem sido bem diferente do discurso alviverde. Com exceções de 2011, quando perdeu a vaga no torneio internacional na última rodada, e 2008, que terminou em nono, o Coritiba apenas brigou contra o rebaixamento.

“E eu falei para os jogadores no vestiário que, em 2020, o Coritiba não fica na zona de rebaixamento, não briga para cair e quem destes atletas ficar têm que colocar na cabeça que o Coritiba quer sim brigar por coisas grandes”, completou o dirigente.

Com aumento de, pelo menos, 50 milhões em receitas de TV, além de um provável crescimento nos valores de patrocínios, sócios e bilheteria, o Coritiba espera utilizar desses recursos para fazer contratações e ainda diminuir a dívida. No balanço de março de 2019, o débito é de R$ 209 milhões.

“O Coritiba espera resolver outras pendências, com fornecedores, acordos trabalhistas, e o Coxa vai trabalhar agora com uma receita de Série A para regularizar isso”, finalizou Samir Namur.

Quem tem contrato:
Goleiros:
Rafael Martins (12/2020), Wilson (12/2020).
Defensores: Sávio (12/2020), Rafael Lima (05/2020), Geovane (12/2020), Nathan Ribeiro (5/2020), Thalisson Kelven (5/2021) e Romércio (12/2020).
Meias: Julio Rusch (12/2020), Thiago Lopes (12/2021), Luiz Henrique (12/2021), Vitor Carvalho (12/2021) e Matheus Bueno (12/2021).
Atacantes: Iago Dias (12/2020), Nathan (12/2021), Igor Jesus (12/2022), Welissol (5/2021), Rafinha (4/2021).

Mais do Coxa:

+ Jogadores do Coritiba provocam Paraná Clube
+ Samir Namur promete elenco fortalecido em 2020
+ Coritiba fez a festa com a torcida