Depois do atacante Wellington Paulista, negociado pelo Internacional com o Fluminense, foi a vez do Coritiba perder o zagueiro Welinton. O jogador, que atuou no empate sem gols contra o Joinville, teve seus direitos econômicos negociados com o Umm Salal, do Catar. A negociação deverá render dividendos para os cofres do clube, já que o Coxa tinha, segundo o vice-presidente Ernesto Pedroso, 20% dos direitos do defensor.

Se por um lado, o zagueiro Welinton, que não era titular absoluto do time de Ney Franco mesmo depois da saída de Leandro Almeida para o Palmeiras, alivia de certa forma a folha de pagamento, por outro, o clube deve buscar pelo menos mais um novo zagueiro no mercado. Dentro do grupo, as principais opções são os zagueiros Luccas Claro, que tem sondagens, Leandro Silva e Bonfim, que pouco atuou até agora nesta temporada.

O Coritiba, por causa da negociação envolvendo o meio-campo Robinho com o Palmeiras, tem o direito de contratar três atletas vindos do time paulista. Antes de acertar com o goleiro Wilson, que veio do Vitória, o Coxa tentou, sem sucesso, a contratação do goleiro Aranha, que é reserva no time de Marcelo Oliveira. Porém, os nomes passados na ocasião não agradaram a diretoria coxa-branca que, agora, pode rever as opções para tentar reforçar o Coxa na sequência do Campeonato Brasileiro.

“Já temos alguns negócios em andamento e ainda nessa semana deveremos ter novidades”, disse o vice-presidente Ernesto Pedroso. Estão em observação jogadores da Série A e também do exterior.

Ataque também está devendo

A falta de gols é um problema a ser resolvido no Coritiba. Terceiro pior ataque do Brasileirão com apenas sete gols marcados, o time abusou de desperdiçar chances no empate por 0x0 com o Joinville, sábado, no Estádio Couto Pereira. A falta de experiência e tranquilidade dos atuais atacantes recolocou a diretoria alviverde no mercado.

O vice-presidente Ernesto Pedroso confirmou que o time busca um centroavante de referência, mais experiente, para reforçar o elenco. “Nosso departamento de futebol está atrás de um nome para suprir essa carência”, afirmou.

O principal alvo da torcida coxa-branca no último sábado foi o atacante Rafhael Lucas. Artilheiro do time no Paranaense, o camisa 99 tem tido dificuldades para se firmar como titular. Sem Wellington Paulista e com Kléber contundido, ele virou a referência para o ataque Coxa. Contra o JEC, ele perdeu dois gols incríveis.

Ao final da partida, foi xingado de “pipoqueiro” por parte dos torcedores. “Quando eu faço gol a torcida fala que eu sou o melhor e quando eu perco gol sou chamado de pipoqueiro. Isso não me abala”, disse. No primeiro tempo o time criou oito chances e no segundo seis. Chegou muito próximo de marcar, mas parou na atuação inspirada do goleiro Agenor.

Após a saída de Wellington Paulista, negociado com o Fluminense na última sexta-feira, o Coritiba ficou com oito atacantes no elenco: Giva, Kléber, Marcos Aurélio, Keirrison, Rafhael Lucas, Negueba, Matheus Oliveira e Paulinho. Contudo, com o perfil de centroavante apenas Keirrison e Rafhael Lucas. (Eduardo Luiz K.)