Andrea Iseki / Diário do Grande ABC
Ruy Scarpino pode ser o
novo técnico do Coritiba.

O primeiro dos ?mistérios? envolvendo o Coritiba 2007 pode ser desvendado nos próximos dias. A diretoria alviverde está finalizando o acerto com o novo treinador -ninguém abre o jogo para dizer quem é, mas ele pode chegar em Curitiba na segunda para ser apresentado oficialmente. A tendência é que o técnico seja um profissional conhecido, no estilo de Marco Aurélio, nome que foi citado desde quinta-feira nos bastidores do clube.

Ontem, a Diretoria Executiva do Coritiba ficou toda a tarde reunida no Couto Pereira, fazendo contatos para possíveis contratações. Ao final do dia, pessoas ligadas aos ?cardeais? do Coxa confirmavam que o acerto estava muito próximo. Mas nada foi divulgado – até pelo método da diretoria, que não confirma nenhuma informação antes do anúncio oficial.

Como não houve nenhum pronunciamento dos dirigentes, vários nomes acabaram entrando na lista de possíveis técnicos – além de Marco Aurélio, Giba, Vágner Mancini, Gilberto Pereira, Vágner Benazzi, Ruy Scarpino, Luiz Carlos Barbieri e até mesmo Antônio Lopes.

Se o técnico pode chegar na segunda, é possível que o nome do novo homem-forte do departamento de futebol não saia este ano. A realização da Assembléia Geral dos sócios do clube, marcada para o dia 10 de janeiro, pode ?emperrar? as conversas com coxas ilustres que poderiam assumir o cargo de diretor de futebol.

O presidente Giovani Gionédis e seus seis companheiros de diretoria (Luís Guilherme de Castro e Evangelino da Costa Neves romperam com a situação) devem aguardar a decisão dos sócios? que vão votar o impedimento – ou não – de Gionédis, para então voltar à carga para sondar possíveis diretores de futebol. Além disso, a recusa de Domingos Moro acabou sendo um duro golpe para a cúpula coxa, que tinha como certa a presença do ex-vice-presidente.

A possibilidade de anunciar um coordenador de futebol em dezembro passa pela negociação com o médico e ex-diretor, João Carlos Vialle. Ele teve uma conversa com um dirigente alviverde na quinta, e se reunirá com Gionédis na próxima semana e reconhece que quer ajudar o clube. ?Eu nunca vou me recusar a auxiliar o Coritiba. Mas preciso saber como será essa ajuda, eu fui pego de surpresa com a sondagem. Preciso saber como exatamente é a proposta. Seria uma saída do amadorismo para um trabalho profissional?, comentou.