A confirmação do estádio do Pinhão, em São José dos Pinhais, para sediar a partida entre Coritiba e Paraná Clube, no dia 31 de março, gerou dois debates: o descumprimento do regulamento do Campeonato Paranaense e se o clássico terá as duas torcidas.

A indicação alviverde, que foi adiantada pela Tribuna do Paraná durante a semana, descumpre o artigo 20 do Regulamento Geral de Competições Profissionais (RGCP) da Federação Paranaense de Futebol (FPF). O Coxa tinha que ter indicado uma outra praça esportiva, além do Couto Pereira, na inscrição do torneio. Não fez.

+ Leia também: Derrota para o Cascavel recoloca problemas do Coxa à tona

Com isso, o regulamento diz que o clube deveria escolher um novo local a, pelo menos, 100 km de distância de Curitiba. “Caso o clube não possa atuar nas duas praças desportivas indicadas em sua inscrição na competição, deverá indicar um novo estádio no mínimo a 100 (cem) KM de distância do Município de sua sede, no prazo máximo de 10 (dez) dias antes da realização da partida, e mediante a apresentação da concordância e autorização do proprietário do estádio”, afirma o parágrafo 3º do artigo 20.

A diretoria do Verdão até cogitou levar o jogo para o estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa, mas recuou na ideia após a Polícia Militar do Paraná (PM-PR) sugerir que o Paratiba fosse com os portões fechados – o Operário, dono do local, concordou. Dessa forma, a cúpula coxa-branca buscou o Ecoestádio Janguito Malucelli, que foi descartado por não ter os laudos, e o estádio do Internacional de Campo Largo, que não houve acordo financeiro.

+ Mais na Tribuna: Repórter diz que levou cotovelada de técnico do Cianorte

Na última terça-feira (19), a direção visitou o estádio do Pinhão, também conhecido como Xingu, para avaliar e aprovar o gramado sintético, além do acesso ao local. A aprovação definiu que a praça esportiva, que foi a casa do Malutrom e atualmente abriga confrontos do Independente São-Joseense, na Divisão de Acesso, recebesse um dos clássicos da cidade pela primeira vez.

+ Confira a classificação completa e a tabela de jogos da Taça Dirceu Krüger

Todo esse imbróglio se deu pelo Coritiba ter alugado o Couto Pereira para o show do cantor Paul McCartney, no dia 30 de março, véspera do clássico, impossibilitando a realização da partida em sua casa.

Procurada, a Federação Paranaense de Futebol (FPF), através da assessoria de imprensa, declarou que o Alviverde se baseou no regulamento do ano passado, em que não precisava indicar um segundo estádio, já que o regulamento de 2019 ainda não estava definido no momento da inscrição para o arbitral.

E as torcidas?

Outra questão ainda indefinida é sobre a presença das torcidas de Coxa e Tricolor. Com capacidade para aproximadamente quatro mil pessoas, a determinação para ser um jogo de torcida única ou não caberá aos órgãos de segurança. Uma reunião na próxima semana entre clubes, PM, Demafe e torcidas organizadas definirá o esquema para o Paratiba. A reportagem apurou que a ideia inicial é de que o confronto tenha torcedores dos dois times, mas tudo depende da avaliação do esquema de segurança.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!