A Copa do Mundo de 2014 deve movimentar até R$ 2 bilhões em Curitiba, por meio de investimentos, serviços e gastos de torcedores, além de construção de hotéis, estádio e publicidade. O número é apontado por um estudo da consultoria SportBusiness, de Londres.

O levantamento aponta São Paulo como a cidade que receberá o maior impacto financeiro proveniente do Mundial: R$ 12 bilhões. O movimento de recursos na capital paulista será 30% superior ao do Rio. A cidade que abrigará a final da Copa do Mundo registrará um fluxo de recursos e investimentos de cerca de R$ 9 bilhões.

No calendário final dos jogos da Copa, São Paulo ficou com seis jogos – atrás apenas do Rio e Brasília, que terão sete. Mas concentrou o maior número de partidas importantes. Terá a abertura, com a presença da Seleção Brasileira, e uma semifinal. O Rio não terá nenhum jogo da semifinal e só verá o Brasil se o time chegar à final.

Outra cidade que ganha destaque é Brasília, com sete jogos e tida como a terceira com possibilidade de maior ganho financeiro. Segundo o levantamento, os investimentos e lucros chegarão a quase R$ 4 bilhões, mesmo valor que de Belo Horizonte, palco de uma semifinal.

Com R$ 2 bilhões, Curitiba aparece ao lado de Porto Alegre, Cuiabá e Natal.