Quando Felipe Gedoz colocou a bola bem no cantinho, sem chances para o goleiro Vikonis, começou a segunda parte do “projeto Libertadores” do Atlético. O primeiro passo tinha sido dado com uma boa dose de sofrimento, com a classificação nos pênaltis em cima do Millonarios, quarta, em Bogotá. Para a próxima fase da competição continental, a expectativa do Furacão é evoluir dentro e fora de campo. Dentro, com mais preparo físico e com um time mais entrosado. Fora, com mais engajamento da torcida e levando cada vez mais o nome do clube ao mercado nacional e internacional.

Talvez esta última parte seja a de mais fácil realização, porque o Furacão tem isso de forma praticamente automática. Durante as próximas duas semanas, a marca rubro-negra estará em exposição por conta do mata-mata da Libertadores. A diretoria aproveita para tentar estreitar relações com outros clubes, como fez esta semana na Colômbia. Na segunda e na terça, cartolas atleticanos estiveram em Medellín reunidos com dirigentes do Atlético Nacional e do Independiente Medellín.

A parte da torcida é uma prioridade do clube. Hoje deve ser anunciado o plano de venda de ingressos para o jogo do Furacão na próxima quarta, às 21h45, na Arena da Baixada. Após uma presença expressiva, de mais de 30 mil pessoas, no amistoso contra o Peñarol, pouco mais de 23 mil torcedores foram ao Joaquim Américo diante do Millonarios. Por ser um jogo ainda mais decisivo (pois é o duelo que leva para a fase de grupos), a expectativa é que enfim venha o público superior a 40 mil pessoas esperado pela diretoria desde a reabertura do estádio para a Copa do Mundo em 2014.

No gramado

O Furacão sabe que é preciso render mais. Nos jogos contra o Millonarios, o rendimento ficou abaixo do esperado. “Nós tínhamos que ser competitivos e conseguimos ser. São apenas 26 dias de trabalho”, resumiu o técnico Paulo Autuori. O time mais experiente, pedido expresso do “professor” para esta temporada, teve a cancha necessária para segurar a onda nas horas mais difíceis. “Esta tranquilidade vem dos jogos da carreira, pelas competições disputadas. Sou um dos mais velhos do elenco e tenho que procurar passar esta tranquilidade aos mais jovens, conversar muito com eles”, admitiu o lateral Jonathan.
Mas a qualidade de jogo do Furacão pode ser melhor, e todos acreditam que isto acontecerá a partir do próximo mata-mata. “A equipe vai crescer muito depois desta partida. Vamos melhorar e amadurecer cada vez mais dentro da competição”, garantiu o zagueiro Wanderson. “Essa equipe vai ser competitiva e nós vamos ser, não tenho nenhuma dúvida disso”, finalizou Paulo Autuori.