Destaque do Athletico na Copa São Paulo de Futebol Júnior, o atacante Jajá traz o futebol em seu DNA. O apelido, aliás, não é por acaso. O jovem de 18 anos é filho do ex-atacante Jajá, que vestiu a camisa do maior rival. O pai teve uma breve passagem pelo Coritiba, em 1997. Hoje, aos 45 anos, ele vê com orgulho as atuações de seu sucessor.

TABELA: confira a tabela e os classificados da Copinha 2020

O filho tem feito bonito na Copinha. Nos três jogos da primeira fase ele balançou as redes três vezes. Na partida contra o Rio Claro, na segunda rodada, Jajá entrou e mudou o jogo quando o placar estava 2 a 2. Com dois gols, ele garantiu a vitória por 4 a 2. Já diante do Paulista de Jundiaí, ele novamente saiu do banco de reservas para marcar um gol dar uma assistência.

A promessa atleticana iniciou a carreira no Grêmio Novorizontino, interior de São Paulo. Ainda com 14 anos ele já tinha destaque entre os atletas do grupo. Ele ainda pertence ao clube paulista e está emprestado ao Furacão até abril. Mas segundo o empresário do atleta, Neto Genovez, já existe um acordo para o Athletico comprar os direitos do jovem.

“Ele sempre mostrou leveza, agilidade e velocidade. É extremamente técnico nas ações”, conta Marildo Ferreira de Campos, coordenador de departamento de formação do clube paulista.

A família mora em Catanduva e todos os dias o pai levava o menino para treinar. Uma viagem de aproximadamente 50 minutos de ida e 50 de volta, que valeu a pena, segundo o pai.

“Desde muito pequeno eu via que ele tinha talento. Com cinco anos os meninos chutavam de bico e ele já mandava a bola com o peito do pé. Eu sabia que ele tinha nascido com o dom”, conta Jajá, o pai. “É um menino muito esforçado, focado. Ele está dando conta do recado”, completa.

Jajá chegou ao CT do Caju em 2019 e foi utilizado em jogos do sub-20 e sub-23 no ano passado. Destaque para as participações na Copa RS, Brasileiro sub-20 e Brasileiro de Aspirantes. Somente nessas competições ele somou 24 jogos e 14 gols.

Jajá e os filhos. Foto: Arquivo pessoal.

Família Jajá

Além dos dois Jajá, há mais um jogador de mesmo nome na família. O terceiro Jajá é o filho mais velho. O também atacante, tem 23 anos, e foi campeão da terceira divisão do campeonato paranaense de 2019 pelo Andraus.

Além de compartilharem apelido e posição em campo, todos eles também levam o mesmo nome na certidão de nascimento: Jair. O pai é Jair Xavier de Brito, o mais velho Jair Vinícius e o mais novo, jogador do Athletico, Jair Diego. “Acho legal passar essa tradição do nome para eles”, contou.

Ensinamentos aos filhos

Jajá pai não tem tantas lembranças boas de sua passagem pelo Coritiba. Isso porque ele protagonizou um momento inusitado que lhe rendeu demissão por justa causa. Em um jogo válido pelo Brasileirão de 1997, contra o Flamengo, ele e o lateral-esquerdo Guilherme começaram a discutir de forma exaltada em campo. O detalhe é que os dois defendiam o mesmo time, o Coxa.

Após o bate-boca que terminou até em um tapa de Guilherme em Jajá, o árbitro Márcio Rezende de Freitas expulsou os dois em campo. O então presidente do clube, Joel Malucelli, desligou os dois atletas do time. A história dele no Alviverde durou 15 jogos, um gol e duas expulsões.

“Não foi uma passagem muito boa, poderia ter feito mais, porém aprendi muito com o que aconteceu. Ensinei aos meus filhos como lidarem com esse tipo de situação e sei que eles não vão repetir esse tipo de erro”, garante.

Promessa

Mesmo que o filho tenha ainda tenha todo um caminho a percorrer dentro do Athletico, Jajá sonha em ver o seu caçula estrear no profissional. “Eu vou estar lá. Vou para Curitiba e quero ver de perto esse momento”, promete.

+ Mais do Furacão:

+ Confira as datas e horários dos jogos da primeira fase da Copa do Brasil
+ Athletico renova contrato com a Umbro