O Athletico começa nesta quinta-feira (14), diante do Jorge Wilstermann, da Bolívia, às 21h, uma sequência de três jogos seguidos na Arena da Baixada pela Libertadores. Estes compromissos dentro de casa podem ser decisivos para o Furacão, já que se conseguir emplacar três vitórias contra os bolivianos, Boca Juniors e Tolima, da Colômbia, pode encaminhar a classificação às oitavas de final do torneio internacional.

+ Leia também: Furacão recebe o Jorge Wilstermann já com a necessidade e a pressão da vitória

Jogar na Arena da Baixada pela Libertadores é sinônimo de bons resultados. Pelo menos na história. Das cinco participações do Rubro-Negro na competição, em quatro o time atleticano atuou no Joaquim Américo. Foram 18 jogos dentro do Caldeirão, em 2000, 2002, 2005 e 2017, com 12 vitórias, três empates e três derrotas, totalizando rendimento de 72%.

Já no ano de 2014, o Athletico não conseguiu jogar na Arena por conta da reforma para receber os jogos da Copa do Mundo daquele ano. E o clube não conseguiu passar da primeira fase. O Furacão fez da Vila Capanema a sua casa e conseguiu três vitórias e uma derrota. Um dos triunfos foi ainda na fase eliminatória, quando bateu o Sporting Cristal, do Peru, e avançou para a etapa de grupos nas penalidades.

+ Leia também: Técnico do Jorge Wilstermann conhece bem o Athletico

Coincidência ou não, em 2014 o Athletico não conseguiu avançar às oitavas de final. Fez apenas nove pontos na fase de grupos e viu The Strongest, da Bolívia, e Vélez Sarsfield, da Argentina, garantirem a vaga na próxima etapa.

Também nas participações do Rubro-Negro na Libertadores, teve a polêmica envolvendo a decisão de 2005. O Athletico não conseguiu jogar a final contra o São Paulo em casa, por conta da capacidade inferior à exigida pela Conmebol. O time, então, foi a Porto Alegre e empatou em 1×1 diante do tricolor paulista no Beira-Rio.

+ Saiba mais: Athletico terá que explicar aumento no valor dos ingressos

A história agora é outra. O Athletico, na edição de 2019, terá três jogos seguidos para fazer na Arena da Baixada. Fazer nove pontos nestes compromissos pode deixar o Furacão bem perto da próxima fase, faltando ainda os dois últimos jogos, contra Jorge Wilstermann e Boca Juniors, na Bolívia e na Argentina, respectivamente.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!