O goleiro Léo acabou se tornando o grande personagem do bicampeonato paranaense do Athletico. O camisa 1 do time de aspirantes foi de vilão a herói. No primeiro jogo da final do Estadual, no estádio 14 de Dezembro, o arqueiro pouco apareceu, já que o Toledo só foi atacar nos minutos finais do segundo tempo. Porém, quando precisou ser acionado, ele acabou falhando na derrota de 1×0. A desconfiança passou a ser ainda maior em cima do arqueiro.

Já no jogo decisivo da Arena da Baixada, Léo também foi pouco testado. Entretanto, quando o Porco lançava as bolas na área, o arqueiro parecia estar desligado da partida. O goleirão saía totalmente descontrolado da meta rubro-negra, levando os torcedores do Athletico a muita tensão. Do outro lado, ele via o camisa 1 do Toledo, André Luiz, fazer verdadeiros milagres no gramado do Caldeirão. Foram ao menos três defesas espetaculares.

+ Leia mais: Athletico vence o Toledo e é bicampeão paranaense

Quando o confronto foi para as penalidades, Léo precisava da confiança dos seus companheiros e de sua torcida. E ele foi correspondido. Os torcedores fizeram uma enorme pressão pra cima dos atletas do Toledo. Em três cobranças, Léo chegou muito perto de defender. No entanto, coube ao paredão defender a primeira cobrança alternada do Porco. Com os pés, ele levou cada torcedor do Furacão ao delírio na Arena da Baixada.

Não só os torcedores. Jogadores, comissão técnica e diretoria foram à loucura. O atacante Gabriel Poveda saiu correndo em direção ao goleiro, achando até que o título do Paranaense estava decidido. Léo se manteve frio, fora da área, apenas aguardando o tento final do lateral-direito Khellven. Quando o piá deixou a sua marca, aí Léo virou o grande herói e grande personagem do confronto. O arqueiro foi aplaudido de pé pela massa.

Baixe o pôster do bicampeonato estadual do Athletico!

Leonardo da Silva Vieira, 28 anos, ainda não sabe o seu futuro. Com contrato até julho de 2020, o goleiro não tem sido relacionado na equipe principal de Tiago Nunes. Contratado em 2017, após ter feito uma boa passagem pelo Paraná Clube, o camisa 1 chegou a ser emprestado ao Atlético-GO no ano passado. Teve poucas chances no Dragão e retornou ao Furacão. Agora, entre os aspirantes o arqueiro vive um dia de glorias.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!