Técnico do Jorge Wilstermann, da Bolívia, adversário do Athletico nesta quinta-feira (14), na Arena da Baixada, pela segunda rodada da Libertadores, Miguel Ángel Portugal comandou o time paranaense na competição internacional em 2014. No elenco, uma estrela mundial: Adriano ‘Imperador‘, em sua última tentativa de jogar em alto nível.

+ Leia também: Furacão tem ótimo retrospecto na Arena pela Libertadores

O treinador do time boliviano espera que o ex-craque brasileiro, que não entra em campo desde 2016, siga uma outra carreira dentro do futebol. “Como pessoa é 10, foi muito bom comigo. Espero que continue como treinador, executivo de futebol ou até comentarista. Qualquer um será uma boa profissão para ele”, declarou ele.

Pelo Furacão, Adriano fez apenas quatro jogos e marcou um gol, na derrota por 2×1 para o The Strongest, da Bolívia, que culminou na eliminação da equipe na fase de grupos da Libertadores de 2014. Ao todo, ele esteve no gramado por 191 minutos.

+ Mais na Tribuna: Técnico do Jorge Wilstermann vira ‘inimigo íntímo do Athletico”

Com um programa especial para deixá-lo bem fisicamente, o atacante estreou no dia 13 de fevereiro contra o time boliviano, na Vila Capanema, entrando nos minutos finais. Depois, também na reta final, entrou contra o Vélez Sarsfield, da Argentina. O Imperador só foi começar como titular diante do Londrina, pelo Campeonato Paranaense, e no jogo que eliminou a equipe rubro-negra da competição sul-americana. Torcida e imprensa cobravam mais participações dele nas partidas e Portugal, agora, explicou que o centroavante convivia com lesão e não tinha condição de atuar em bom nível técnico.

“Uma passagem linda para mim. Ele tinha um grande problema, estava machucado no tendão de Aquiles. Por isso, não podia praticar bem o futebol. Estava em final de sua trajetória”, comentou.

Adriano não conseguiu ter uma sequência no Furacão e ficou pouco tempo no clube. Foto: Lineu Filho
Adriano não conseguiu ter uma sequência no Furacão e ficou pouco tempo no clube. Foto: Lineu Filho

Adriano, além da pouca minutagem em campo, também conviveu com saídas na noite curitibana, ‘desaparecimentos‘ para o Rio de Janeiro e faltas nos treinamentos. O Athletico rescindiu com o jogador no dia 11 de abril de 2014 por conta de seu comportamento fora das quatro linhas.
Depois da passagem pelo Furacão, o Imperador só tentou jogar novamente no Miami United, dos Estados Unidos, com uma partida e um gol. Atualmente com 37 anos, ele ainda não anunciou a aposentadoria oficialmente.

+ Saiba mais: Furacão recebe o Jorge Wilstermann já com a necessidade e a pressão da vitória

“No momento estou feliz com os meus amigos e minha família no Rio de Janeiro, vivendo uma vida normal. Não me aposentei, apenas decidi dar uma pausa. Se surgir a oportunidade de voltar, voltarei, mas só no Brasil. Não consigo ficar longe dos meus três filhos”, falou o jogador, em entrevista à DAZN, em dezembro do ano passado.

Já Portugal pediu demissão do Rubro-Negro no dia 19 de maio de 2014. Ele comandou a equipe paranaense em 13 jogos, com cinco vitórias, dois empates e seis derrotas, em um aproveitamento de 43%. Além da eliminação precoce na Libertadores, o técnico deixou o time atleticano na 13ª posição do Campeonato Brasileiro, apenas um ponto à frente do Z-4.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!