Foto: Valquir Aureliano/O Estado
Gilberto Pereira conta com a volta dos titulares suspensos amanhã.

O Paraná tem a obrigação de ser campeão. Essa é a opinião do elenco da Adap, que ao transferir todo o favoritismo encontra uma maneira de tirar dos jogadores de Campo Mourão qualquer tipo de pressão.

Segundo o técnico Gilberto Pereira, a condição de grande clube do Estado e integrante da primeira divisão nacional dá ao Tricolor toda a responsabilidade de sair vencedor na decisão do Campeonato Paranaense. ?Quem tem que ganhar o título é o Paraná. Eles que são considerados grandes, têm a melhor estrutura. Nós somos o ?entrão? nessa história toda?, afirma o treinador.

Porém, a experiência de ter deixado para trás Atlético e Coritiba dá confiança ao time da Adap. ?Nós temos provado que no futebol nem sempre o que a maioria fala acontece. Mas por enquanto, na situação teórica, o Paraná é o favorito até começar a partida. Depois, vamos tentar reverter a situação?, diz Gilberto.

Ontem, a equipe voltou a treinar em Farol, município a 25 km de Campo Mourão. Gilberto ainda estuda qual a melhor formação para enfrentar o Tricolor, já que conta com a volta de quatro titulares. O zagueiro Alex Noronha, o volante Mineiro e os meias Felipe Alves e Souza cumpriram suspensão contra o Coritiba, na última quarta-feira, e devem retomar seus lugares na equipe. Mas o bom desempenho dos substitutos contra o Coxa deixa o treinador na dúvida.

O certo é que a Adap não vai se expor demais amanhã em Maringá.

O time deve atuar de forma ofensiva, buscando uma vitória que daria mais tranqüilidade para a partida de volta. Porém a equipe do interior sabe que não pode dar espaços para o Paraná. ?Não é porque estamos jogando em nosso domínio que temos que resolver na marra. Vamos ter equilíbrio, respeitando o Paraná. Mas não respeitar ao ponto de não jogar. Nós temos condições de buscar uma vitória?, acredita Gilberto.

Hoje pela manhã, a delegação mourãoense parte rumo a Maringá, onde a partir das 10h faz um treinamento no estádio Willie Davids, palco do duelo de amanhã.

O segredo é a Toca do Leão

Campo Mourão – Na saída de Campo Mourão para Cascavel está o local que é hoje o principal diferencial da Adap em relação aos demais times do interior paranaense. Com cinco campos oficiais, sala de musculação e alojamento para mais de 100 atletas, a Toca do Leão deixa para trás os centros de treinamentos da maioria dos clubes brasileiros.

O CT foi adquirido pela Adap em 2002. Antes, o local era uma franquia do Centro de Futebol Zico (CFZ), que estava desativada. Hoje, atende às seis categorias do futebol da Adap, do pré-mirim ao profissional. ?Além de toda a estrutura de treinamento, você não tem que ficar se deslocando demais para trabalhar. Você tem os atletas bem próximos, com mais tempo para fazer treinamentos e corrigir erros que estão acontecendo no dia-a-dia. A gente convivendo mais com o atleta, dá uma força muito grande, mesmo?, elogia o técnico Gilberto Pereira.

O estádio onde a Adap manda seus jogos, o Roberto Brzezinski, pertence à Prefeitura de Campo Mourão. Além do campo de futebol, conta também com uma pista de corrida, além de estrutura para outras modalidades do atletismo, como saltos e arremessos. Com capacidade para 5 mil pessoas, o estádio teve seu recorde de público batido na última quarta-feira, quando 5.289 pessoas acompanharam a partida contra o Coritiba.

Mourãoenses prometem ?invadir? Willie Davids

No que depender da torcida de Campo Mourão, a Adap vai estar em casa amanhã, em Maringá. Caravanas estão sendo organizadas por toda a cidade e a expectativa é que mais de 30 ônibus partam rumo ao estádio Willie Davids, local do primeiro confronto pela final do Campeonato Paranaense.

Segundo o presidente da torcida Leões da Falange, Austin Andrade, a organizada já reservou dez ônibus para a excursão. ?Pela procura, acho que vamos ter que pedir mais. Também estão sendo organizadas caravanas das cidades da região e empresas estão fretando ônibus para seus funcionários?, diz Austin.

Para acompanhar a Falange, o torcedor paga R$ 11, além do ingresso, que antecipadamente sai por R$ 10 na arquibancada e R$ 20 nas cadeiras. No dia do jogo, o preço sobe para R$ 15 e R$ 25. São 10 mil lugares reservados para a torcida da Adap.

O time de Campo Mourão também espera contar com o apoio da população de Maringá, apostando na velha rivalidade entre capital e interior. ?Maringá não é nossa casa, mas será nossa casa de aluguel. Tenho certeza que o pessoal de Maringá vai estar conosco. Desde já convocamos a região toda para nos dar o apoio, para que a gente supere a capital, um pessoal que acha que são superiores a nós, do interior?, pede o técnico Gilberto Pereira.

Mais informações sobre ingressos e excursões estão no sítio da Adap na internet: www.adap.com.br.