Publicidade

São Luiz do Purunã

Ponto turístico com uma vista deslumbrante está completamente abandonado

Localização privilegiada e uma vista de tirar o fôlego. É assim que podemos descrever o complexo turístico formado pelo Cristo do Purunã e pelo Recanto Martinho Rosembach, próximo ao distrito de São Luiz do Purunã, na BR-277. Apesar da beleza natural, o local parece esquecido por aqueles que administram ou deveriam administrar a região. Com uma estátua muito parecida ao famoso Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, um recanto para passear – de carro ou a pé – e diversas churrasqueiras, o complexo já foi ponto de encontro de famílias e jovens, mas atualmente o cenário é bem diferente. Por lá restaram somente marcas de brigas judiciais, abandono e falta de segurança.

Para acessar a região, não é nada difícil, e justamente por isso muitas pessoas sentem falta do zelo ao local que um dia já teve ‘lanchonete‘, banheiros e até mesmo seguranças para garantir um passeio tranquilo. No entanto, o cenário de paz parece algo do passado. Andando pelo mirante do Cristo, encontramos até mesmo um portão de ferro com marcas de tiro e os banheiros, que antes tinham vasos sanitários e torneiras, hoje estão completamente vazios, aparentemente os objetos foram furtados e depredados.

Como chegar no Parque Morro do Cristo?

Para quem vem de Curitiba, pela 277, o acesso ao Cristo e ao recanto fica pouco antes da praça de pedágio de São Luiz do Purunã, em uma estrada à esquerda. O Cristo fica em um morro, um dos pontos mais altos da serra, e de lá é possível ver os municípios de Balsa Nova, Campo Largo e até mesmo Curitiba, que fica a 45 quilômetros de distância. Construído em 1976, ele foi “erguido” por um casal de guarapuavanos, como pagamento a uma promessa, e mesmo com 18,5 metros de altura, foi alvo de vandalismo e hoje carrega pichações e sinais de esquecimento.

cristo8

+Caçadores! “Tá chovendo aí? Aqui tá chovendo!” Conheça o responsável por esse meme!

“Eu cheguei a trabalhar como segurança ali no Cristo, mas desde que “fechou” eu não trabalho mais. De vez em quando eu ando até o Recanto e faço algumas limpezas, corto algumas árvores, mas é triste de ver esse lugar tão abandonado. Final de semana isso aqui era uma beleza. Tinha turista, criança brincando, fotos, encontros e até lanches. A gente, como cidadão, fica muito triste!, contou um morador que pediu para não ter o nome revelado.

Parque ambiental do Morro do Cristo de Sao Luiz do Puruna
Foto: Átila Alberti/Tribuna do Paraná.

Apesar de estarem praticamente no mesmo lugar, o Cristo e o Recanto têm administrações distintas. A revitalização do mirante do Cristo depende do fim do impasse entre a família detentora da terra e a Prefeitura de Balsa Nova, algo que parece estar longe de acontecer. Há 12 anos a Tribuna fez uma matéria sobre o abandono do Cristo e a situação era a mesma.

+Caçadores! Homem usa o Youtube e consegue economizar 50% na construção da casa própria!

Procurada pela reportagem, a prefeitura informou que o processo ainda corre em segredo de justiça, “razão pela qual as informações que dizem respeito à ação judicial em questão são restritas e não podem ser divulgadas”, diz a nota. Ainda assim, a reportagem solicitou um entrevistado para conversar sobre a região e explicar o que poderia ser feito pelo município, caso ganhassem a ação, mas não tivemos retorno da solicitação.

+Sobreviventes! Família sai ilesa de acidente gravíssimo e dá detalhes sobre o milagre!

Na época da publicação da primeira reportagem, em 2006, uma turismóloga responsável pelo departamento de Turismo da Prefeitura explicou que os filhos do casal, proprietário do terreno, desistiram de doar o local para o município. Ainda conforme a turismóloga, tal acordo de doação teria sido firmado com a administração anterior, mas informalmente. “Não foi feita a parte burocrática e,quando tentamos fazer a transferência, os filhos do casal não tinham mais intenção em doar o lugar ao município”, esclareceu na ocasião.

Foto: Átila Alberti/Tribuna do Paraná.
Foto: Átila Alberti/Tribuna do Paraná.

Recanto Abandonado

Quem mora no Paraná com certeza já ouviu falar da Serra da Graciosa e o Recanto é muito parecido. Na pequena estrada, rodeada por uma mata e pequenos espaços com vista para paisagens belíssimas, temos um mirante, parquinho para as crianças e diversas churrasqueiras.

O mirante, que antigamente servia para o enquadramento de belas fotos, hoje está com o teto caindo e pouquíssima segurança para quem quer levar um registro para casa. Além dele, o parquinho está praticamente inacessível e nem parece que há 10 anos dezenas de crianças ali brincavam. Já as churrasqueiras, que reuniam famílias durante os animados encontros de final de semana, foram tomadas por mato e árvores. Inaugurado em 1966, a responsabilidade do lugar era da alçada do governo do Estado, através do Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Atualmente, quem responde pela manutenção é a concessionária CCR Rodonorte, que administra o trecho da rodovia.

+Sobreviventes! Com roupas rasgadas e com fumaça saindo pelo corpo, curitibana foi parar no hospital após sobreviver a raio pela segunda vez!

Em 2006, ano em que a Tribuna fez a primeira matéria sobre a região, a situação era diferente e a concessionária não afirmava ser responsável, mesmo com o DER afirmando que a Rodonorte seria a responsável. Apesar de fazer manutenções na estrada – poda de algumas árvores – o restante do Recanto não parece passar por qualquer manutenção há anos. A concessionária afirmou, por meio de uma nota, que ainda nesta semana deve fazer uma visita técnica ao Recanto Martinho Rosembach para “avaliar, juntamente com o Poder Concedente, eventuais ações a serem realizadas naquela região”, finalizou.

+Sobreviventes! “Mal sabia Hamilton que naquela noite ele estaria morto”, diz sobrevivente de queda de avião!

Enquanto eventuais reformas não acontecem em ambas as partes do complexo, as postagens em redes sociais, de turistas, continuam enaltecendo a beleza do local, por conta da natureza, mas cobrando dos responsáveis reformas e mais segurança para aqueles que querem aproveitar o famoso complexo turístico formado pelo Cristo do Purunã e o Recanto Martinho Rosembach.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

“Já me via morta no meio do mato”, diz Mariana, que sobreviveu à violência extrema durante um sequestro

Sobre o autor

Luiza Luersen

Luiza Luersen

Jornalista formada pela Universidade Positivo, Luiza adora contar histórias e também é apaixonada por antigomobilismo.

(41) 9683-9504