Thomas Almeida está contando os dias para pisar novamente no octógono mais famoso do mundo. Há aproximadamente dois anos e oito meses sem fazer uma luta oficial por conta de algumas lesões, o atleta da Chute Boxe São Paulo entraria, finalmente, em ação no último fim de semana.

No entanto, ele viu seu tão sonhado retorno ser adiado mais uma vez quando seu adversário Alejandro Perez testou positivo para Covid-19. A organização agiu rápido e escalou Jonathan Martinez para enfrentá-lo neste sábado (17), no UFC Ortega x Zumbi Coreano, na Ilha da Luta, em Abu Dhabi (EAU).

>> Tudo sobre MMA e UFC

Nem mesmo o contratempo tirou a animação de Thominhas. Ciente da situação global, ele sabia que algo nesse sentido poderia ocorrer e se diz feliz por ter conseguido a oportunidade de lutar na semana seguinte.

“Eu já estava preparado psicologicamente para uma mudança de datas, por tudo o que acontece no mundo. Poderia acontecer comigo, ou com o meu adversário (testar positivo para Covid-19). Fiquei muito feliz pelo UFC ter arrumado um outro oponente em tão pouco tempo e já sei de todas as caraterísticas dele. É só ajustar algumas coisas e ir em busca de mais uma vitória. Esse tempo também foi bom para me adaptar ainda mais ao fuso horário dos Emirados Árabes”, disse Thomas.

Treinador do brasileiro, Diego Lima também viu com bons olhos o adiamento da luta original. Segundo ele, isso serviu para que ele se preparasse melhor e ficasse completamente adaptado ao fuso na Ilha da Luta.

“Essa troca acabou até sendo benéfica para o Thomas. Ficamos duas semanas treinando e nos adaptando ao fuso. O fato de lutar na categoria de cima (peso-pena) também vai ser bom, já que ele não vai sofrer muito com a perda de peso e vai pegar um cara que é do mesmo peso e também está subindo por ter pego a luta em cima da hora. Tenho certeza que vai ser um grande show”, afirmou Diego.

Revelação da tradicional Chute Boxe

Com apenas 20 anos, Thomas Almeida despontou no MMA profissional com toda a agressividade característica da equipe Chute Boxe. Logo, o paulista emplacou 20 vitórias consecutivas.

Três anos após sua estreia no MMA, ele já tinha contrato assinado com o UFC. E o cara não parou por aí. Foram três nocautes e uma vitória por decisão já nos primeiros compromissos, conquistando vários bônus de Performance da Noite.

O primeiro tropeço só veio contra o ex-campeão peso-galo Cody Garbrandt. Porém, logo na sequência, Thominhas se recuperou com mais um belo nocaute sobre Albert Morales. Em seus dois últimos combates, entretanto, o paulista acabou perdendo para Jimmie Rivera e Rob Font.

“Todo mundo espera por esse retorno do Thominhas. A expectativa é grande. É um brilhante trabalho da nossa filial em São Paulo, sob o comando do Diego Lima. Esperamos por uma grande apresentação do Thominhas, que é um dos melhores em seu peso no mundo”, ressaltou o líder da Chute Boxe, Rudimar Fedrigo.