Com a chegada do outono e as temperaturas em declínio, gripes e resfriados se tornam comuns na rotina de milhares de brasileiros. Para evitar a sensação de abatimento, dores no corpo, febre e nariz congestionado, o primeiro passo é preparar o sistema imunológico para o impacto da mudança climática.

“Manter uma dieta equilibrada é pré-requisito para se obter um sistema imunológico funcional e saudável”, afirma a nutricionista Maria Carla Leone. Um cardápio que abrange os nutrientes necessários para a manutenção da saúde contribui para a prevenção de doenças não só na estação em que o sintoma das “gripes” é mais frequente, mas durante todos os meses do ano.

A importante tarefa de lutar contra as infecções enfrentadas pelo organismo humano cabe ao nosso sistema imunológico.

Ele pode ser comparado a uma força militar de defesa muito bem organizada. Essa força patrulha o organismo, penetrando em seus líquidos e tecidos, mantendo as linhas de defesa em alerta e prontas para o combate.

Ao encontrar um agente invasor, essas unidades enviam sinais que ativam o sistema de defesa, tentando impedir que o inimigo atinja os seus alvos.

O sistema exerce ainda funções muito úteis como a destruição de células envelhecidas e a vigilância imunitária (destruição de células cancerígenas).

É um sistema extremamente complexo, pois a sua função é reconhecer cada um dos tecidos, células e proteínas do organismo distinguindo-as dos microorganismos que invadem o corpo e causam infecção.

Quadro alérgico

A pediatra Ivani Mancini explica que, normalmente, o sistema de defesa deveria agir apenas contra substâncias nocivas à nossa saúde, como as bactérias e os vírus, por exemplo.

Porém, na pessoa alérgica, o sistema imunológico vai reconhecer substâncias inofensivas como se fossem perigosas para o corpo e acaba reagindo contra elas. Esta é a reação alérgica.

“Em pessoas em perfeitas condições de saúde, a ação do sistema imunológico é imediata e eficaz”, ressalta, salientando que, na ocorrência de uma falha nesse sistema, o organismo fica exposto às doenças.

Existe uma grande variedade de doenças que podem surgir por falhas no sistema imunológico, entre as mais corriqueiras estão as alergias.Outras doenças que derivam de falhas no sistema imunológico são a artrite reumática, a esclerose múltipla e o diabetes tipo I; além disso, quando o organismo está debilitado, fica mais suscetível a adquirir outras graves infecções.

Essa capacidade de se defender é identificada como imunidade. Ela pode ser inata ou adquirida. A inata ou natural acompanha o indivíduo desde o seu nascimento. Embora qualquer pessoa possa desenvolver um quadro alérgico, a probabilidade aumenta se um ou ambos os pais apresentarem algum tipo de alergia. De acordo com a pediatra, se tanto sua mãe quanto seu pai forem alérgicos, a criança terá entre 80% a 90% de chance de também sofrer do distúrbio.

O sistema imunológico tem a função de reconhecer e destruir os agentes causadores de doenças e tudo o que for estranho ao corpo.

Imunidade e memória

A imunidade adquirida depende da estimulação do sistema de, defesa ao longo da vida e se deve à capacidade do sistema imunológico de produzir defesas contra invasores e destruí-los, impedindo-os de causar danos ao funcionamento do organismo. O sistema imunológico desenvolve imunidade específica e altamente eficaz contra bactérias, vírus, toxinas e tecidos de outros indivíduos ou animais.

Algumas imunodeficiências resultam de fatores ambientais e podem ocorrer associadas a outras delas. Um exemplo é a aids, causada pelo vírus HIV. Outras podem ocorrer por câncer, doenças nutricionais severas, queimaduras, exposição à radiação ou no caso de incompatibilidade de órgãos transplantados.

De acordo com os especialistas, a imunidade adquirida depende de mecanismos intimamente relacionados entre si: a produção de proteínas chamadas anticorpos, que têm a capacidade de atacar e neutralizar o agente invasor e a sensibilização de determinados tipos de linfócitos, contra um agente específico. Essas substâncias são capazes de se fixar ao agente estranho e destruí-lo. Essa forma de imunidade é conhecida como imunidade celular.

Assim, algumas dessas proteínas são chamadas células de memória e permanecem no corpo. Quando o organismo encontra o mesmo antígeno novamente, está preparado para reagir rápida e eficazmente.

O sistema imunológico pode “lembrar” da produção destes antígenos e produzi-los de forma rápida novamente. Isso explica porque pessoas que já tiveram rubéola, por exemplo, ficam imunes a infecções subsequentes por esse vírus.

A imunização artificial, por meio de vacinas, funciona por esse princípio: a vacina prepara o sistema imunológico para reconhecer organismos causadores de doenças, entrando rapidamente em ação ao encontrar os microorganismos invasores. Várias vacinas são criadas a partir de bactérias ou vírus destruídos ou enfraquecidos.

Gorduras fortalecem as defesas do corpo

Maria Carla Leone esclarece que se alimentar de forma correta não significa apenas consumir frutas e vegetais. “Além desses, e dos grãos e proteínas, é importante ressaltar a relevância das gorduras para fortalecer a imunidade do corpo”, reconhece.

Isso se deve ao fato de que uma das principais funções das gorduras é absorver e disseminar vitaminas importantes – como as A e D, cruciais para ativar as defesas do corpo e ajudar a combater infecções.

Além do fortalecimento do sistema imunológico, tais gorduras trazem outros benefícios para a saúde em geral – influenciam positivamente nos níveis de colesterol no sangue e auxiliam o crescimento e renovação das células, assim como no desenvolvimento mental de crianças e adultos.

Alguns passos simples podem transformar a capacidade de defesa do corpo. Uma dica é dar preferência aos alimentos de origem vegetal – como óleos, margarina e maionese – e evitar os de origem animal. “Também é interessante substituir carnes vermelhas por peixes, como salmão, rico em gorduras Ômega-3”, finaliza a especialista.