Monumento Mitad del Mundo permite estar com um pé no Hemisfério Norte e outro no Sul.

?Quito é minha capital favorita na América Latina. A cerca de 2.850 metros do nível do mar, ela tem um clima de primavera o ano todo e fica em um vale circundado por magníficas montanhas?, diz o jornalista inglês Rob Rachwiecki, autor de vários guias sobre os países latino-americanos da série Lonely Planet. Para melhorar, a cidade passou por uma grande renovação nos últimos anos e hoje se orgulha de seus novos hotéis, restaurantes, cafés e museus. Declarada Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade pela Unesco, a capital é emoldurada pelos Andes. Para onde quer que você olhe, lá está a imponente cordilheira.

Quito foi um dos mais importantes centros do Império Inca até a chegada dos espanhóis ao país, em 1526. A cidade então foi feita em ruínas, mas a cultura indígena segue firme e forte. Os índios até hoje mantêm seus hábitos e muitos se reúnem todos os finais de semana no mercado do Parque El Ejido, em frente ao Hotel Hilton, para vender seu interessante artesanato. Foi esse povo que ergueu, ao longo dos últimos cinco séculos, os belos edifícios de Quito, incluindo mansões coloniais, além de amplas praças arborizadas. Uma delas é a charmosa São Francisco, com inúmeros cafés ao ar livre. Ali fica a igreja mais antiga do Equador, com o mesmo nome da praça. Foi construída em 1534. Também a Praça da Independência é repleta de cafés. E, como a anterior, é endereço de uma importante igreja, a Catedral, com suas belas pinturas da escola quitenha. A cidade tem quarenta igrejas, todas abertas à visitação, e doze museus.

A Igreja de São Francisco é a mais antiga e importante do Equador.

A gastronomia é outro atrativo de Quito. Os tradicionais restaurantes especializados em frutos do mar preparam o ceviche (marinado de camarão ou lula) e paellas, que são de dar água na boca. Já os novos estabelecimentos, com sofisticada culinária, mesclam sabores locais com maestria à cozinha internacional. A oferta de hotéis em Quito também cresceu muito. Se você quer uma pousada histórica charmosa, com lençóis de algodão egípcio e café da manhã no quarto, tem. Se você preferir um hotel de padrão internacional, com enormes salas de conferência, também tem. Seja qual for sua escolha, uma coisa é certa: você sempre será tratado com a doçura típica do equatoriano.

Perto de Quito, um passeio completo

Cestas coloridas fazem parte do rico e alegre artesanato quitenho.

Para o turista que estiver em Quito e quiser conhecer o que há de turístico um pouco além dos limites da cidade, uma dica é conhecer Otavalo, a duas horas da capital. Sábado é um dia interessante porque é quando acontece a feira de artesanato indígena. Antes mesmo de chegar a Otavalo, há muito o que ver. No caminho, há fazendas com porteiras abertas para os visitantes.

Siga o roteiro

9h – Alugue um carro em Quito e siga pela estrada Quito-Tulcán rumo a Otavalo.

10h30 – Parada estratégica na Hacienda Cusin, com seus belos jardins. Peça um café para tomar nas mesas do jardim e conheça a famosa fazenda. O local também têm hospedagem em alto estilo. As diárias custam a partir de US$ 110. Entrada gratuita.

12h – Volte para a estrada. Veja como as imponentes montanhas dos Andes enfeitam a paisagem.

13h – Chegada a Otavalo. A animada feira de artesanato, que acontece das 9h às 18h, toma conta da praça principal. Os índios e seus descendentes vendem desde lindas colchas de cama bordadas até belas pashiminas. E o melhor: tudo por um preço inacreditável. Faça as compras com calma e experimente as comidas indígenas vendidas na feira, como o cuy, além de tortillas de maiz (feitas de milho) e o lechóns, porco assado inteiro no espeto. É tudo preparado na hora e muito autêntico.

15h – Pegue o caminho de volta, mas isso não significa o fim do programa.

16h – Relaxe no La Mirage Garden Hotel & Spa, rede Relais & Chateaux, que fica na Calle Vias de Agosto, s/nº. As diárias custam a partir de US$ 130. Lá a dica é tomar um fantástico banho xamã (US$ 65, incluindo o uso da piscina durante metade do dia, manhã ou tarde), com ervas usadas pelos índios. Você sai de lá com fé renovada na vida.

17h – Não perca também o chá da tarde no belo salão do La Mirage.

18h – É hora de voltar a Quito, com a sensação de ter aproveitado bem o dia.

Escalar vulcões é pura aventura

O belo Cotopaxi, com seus
5.897 metros, é o vulcão
em atividade mais alto da Terra.

Na Avenida dos Vulcões, a cerca de cinqüenta minutos de Quito, o céu é o limite. Lá, o visitante aprecia (e os mais aventureiros escalam) alguns dos vulcões mais altos do mundo, quase um ao lado do outro. Lá estão o Cotopaxi (o mais alto da Terra ainda em atividade, de 5.897 metros de altitude), o Chimborazo, a impressionantes 6.310 metros do nível do mar, e o Pichincha (4.784 metros), além de vários outros primos menores, como o Pasochoa, o Rumiñahui e o Sincholagua. Não é de hoje que a região impressiona.

Já em 1802 o explorador alemão Alexander von Humboldt ficou fascinado por esses gigantes e batizou o local de Avenida dos Vulcões. Perto de tudo isso, os turistas fazem caminhadas e passeios a cavalo em meio a montanhas, lagoas límpidas, cachoeiras e vales cobertos de flores. E visitam a Floresta Mindo-Nambillo, uma das mais importantes reservas de pássaros do mundo. Apesar dos programas com jeito de aventura, hoje não é preciso ser um Humboldt para explorar o cenário, que oferece hospedagem de primeira.

O Eco-Lodge San Jorge (www.eco-lodgesanjorge.com) fica numa fazenda do século 18 aos pés do Pichincha, em meio à mata. Além de fazer caminhadas pela base do vulcão, o turista pode mergulhar nas piscinas naturais das quinze cachoeiras da propriedade. Diárias a partir de US$ 110.

O Cotopaxi domina a paisagem da Hosteria La Cienaga (www.geocities.com/haciendaec). A fazenda que hospedou Humboldt tem quartos em estilo colonial. Diárias a partir de US$ 100. Os hóspedes da Hacienda La Andaluza (www.hosteria-andaluza.com), com vista para o Chimborazo, fazem passeios de bicicleta, a cavalo e a pé. Ali foi escrita a primeira Constituição do Equador, em 1830. Diárias a partir de US$ 60.

A Tierra del Volcán (www.volcanoland.com) fica no Parque Nacional Cotopaxi e organiza excursões para quem deseja praticar rapel, mountain bike e até acampar na base do vulcão. Diárias a partir de US$ 90.