Assim que recebemos o tão esperado “positivo”, em janeiro de 2020, já começamos a imaginar como seria a gestação, cada exame e as comemorações durante a gravidez. Só que os planos tiveram que mudar completamente devido à pandemia de covid-19 e, assim como milhares de gestantes em todo o mundo, imaginamos que não teríamos mais nosso Chá de Bebê para comemorar esse momento tão especial com familiares e amigos.

Até que começaram a aparecer ideias de eventos em estilo drive-thru e carreatas por todo Brasil. Eu e meu marido Dioni Brandt achamos a ideia interessante, comentamos com a família a respeito da possibilidade e todos nos apoiaram. Assim, no lugar de um evento tradicional em um salão de festas com direito a salgados, doces e brincadeiras, decidimos fazer tudo ao ar livre, na rua, com cada convidado usando máscara dentro do seu carro, os presentes sendo higienizados com álcool e todos levando docinhos para comer em casa.

+ Leia mais: Você esta seguro no seu bairro? Veja como estão os casos da covid-19 na vizinhança

Para isso, iniciei o preparo da festa com aproximadamente um mês de antecedência. Pesquisei valores de caixinhas personalizadas para os doces, solicitei a produção delas e pedi a um amigo que preparasse a arte do convite que eu enviaria às pessoas especiais em nossa vida. E enviei para todas elas. Afinal, como não dependíamos do espaço disponível em um salão para acomodar os convidados, seria possível convidar muito mais gente do que teríamos chamado para um Chá de Bebê convencional.

A diferença é que cada mensagem enviada pelo WhatsApp precisava de bastante informação a respeito do evento, pois muitos ainda não sabiam como uma “Chárreata” funcionava, mas estavam dispostos a descobrir. Depois, com os amigos e familiares cientes da data em que faríamos o “Chá de Bebê diferente”, comecei a procura por uma decoração que seria montada em frente à nossa casa, de um fotógrafo e um cinegrafista para registrarem o momento e também dos balões e bandeirolas para fixar nos carros. Afinal, todos os veículos deveriam entrar no “clima da festa”.

+ Veja também: Ainda com dúvidas? Veja o que PODE e o que NÃO PODE funcionar em Curitiba sábado e domingo

Também pedi orçamentos para a produção dos doces que seriam entregues como lembrança no evento e solicitei que os convidados confirmassem presença 15 dias antes para que eu mandasse fazer a quantidade certa de docinhos. Aí, na semana do encontro especial bastou enviar um lembrete para todos informando que seria organizado um grupo específico da Chárreata, no WhatsApp, para que todos recebessem mais detalhes.

A gente sabe que muita gente não gosta desses grupos, mas foi a melhor maneira de falar com todos os participantes três dias antes do “chá”, apresentar ideias de como cada um poderia decorar seu veículo e ainda marcar o ponto de encontro para organização da fila de carros. Então, pedi à minha irmã que coordenasse tudo por ali, e foi ótimo!


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?