Demorou um ano e cinco meses para a família do vendedor Valmir Lara da Silva ver presos os suspeitos de tê-lo matado. O homem foi vítima de latrocínio (roubo com morte), em fevereiro do ano passado, no Boqueirão.

Dois, dos três envolvidos no crime, foram identificados esta semana, pela Delegacia de Furtos e Roubos (DFR). Thiago André Rodrigues Garcia, 25 anos, e João Azui Maciel Neto, 22, estão detidos por outros crimes e foram indiciados pela morte do vendedor.

Os familiares de Valmir contaram que ele, a esposa e a filha, na época com um ano e meio, haviam acabado de sair de uma agência do Bradesco, onde sacaram R$ 11 mil.

O vendedor parou com a família numa loja da Avenida Marechal Floriano, para comprar material escolar para a filha. Foi quando Thiago, que estava numa moto, o abordou dando voz de assalto. Por ter reagido, Valmir foi baleado e morreu dentro de sua van. Thiago e outro comparsa fugiram sem levar o dinheiro.

Prisões

Poucos dias depois do crime, João foi preso pela Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas, e Thiago, recentemente, pela Delegacia de Pinhais, por roubo. Durante investigações do latrocínio, a DFR chegou ao nome dos dois suspeitos.

O delegado Rodrigo Brown mostrou as fotografias dos suspeitos a testemunhas do crime, que os reconheceram com certeza. As fotos dos presos também foram comparadas com as imagens das câmeras de segurança cedidas pelo banco e por lojas em frente onde Valmir foi morto.

De acordo com a investigação, João passou informações de dentro da agência aos comparsas, pelo celular. Thiago teria sido quem atirou contra o vendedor. O terceiro suspeito não foi identificado.