Policial tentou evitar
o assalto e perdeu a vida.

Uma tentativa de assalto contra uma casa lotérica no início da tarde de ontem resultou na morte do soldado da Polícia Militar Antônio Nei dos Santos, 42 anos, lotado no Batalhão da Guarda dos Presídios, no Ahú. O policial teria tentado impedir a ação dos marginais e foi alvejado por dois tiros nas costas e na cabeça. A vítima chegou a ser ocorrida pelo Siate, mas morreu a caminho do Hospital do Trabalhador. Ontem era o último dia de apostas para a mega-sena que está acumulada e por isso mesmo o movimento na casa era grande, o que atraiu a atenção dos bandidos.

Segundo informações de testemunhas, dois homens armados chegaram com uma sacola na lotérica – situada em uma galeria na Rua João Bettega, no Portão. Logo após a entrada da dupla no estabelecimento, o policial percebeu que um assalto seria cometido e tentou interferir. Nesse momento foi baleado. Não há informação se o PM chegou a reagir e efetuar disparos contra os ladrões. No local, pessoas contaram que foram ouvidos oito disparos.

Fuga

O policial ficou caído enquanto os ladrões fugiram sem levar nada. No final da galeria, eles pegaram uma motocicleta CG Titan, prata, e fugiram. A placa da moto foi anotada, mas a polícia constatou tratar-se de placa “fria”.

No local surgiram controvérsias sobre a atuação do PM. Algumas pessoas afirmaram que a vítima trabalhava como segurança da lotérica, fazendo “bico”. O proprietário do estabelecimento negou que o policial prestasse serviço para ele e disse que o PM estava apenas passando no local. Essa versão também aparece no relatório dos PMs que atenderam a ocorrência.