O professor de informática de uma escola municipal no Abranches, suspeito de aproveitar a explicação da matéria para abusar de suas alunas, com idades entre 10 e 13 anos, foi preso na quarta-feira (18) pela Polícia Civil. Mesmo casado e com filho pequeno, Louri Moraes Ramiro, 50 anos, teria atacado pelo menos 15 meninas.

A delegada Sabrina Barreiros, do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), contou que, durante a explicação do conteúdo, o professor acariciava as pernas e os seios das meninas, dava beijo no pescoço e falava coisas obscenas no ouvido das alunas. Além do testemunho das vítimas, a investigação contou com o relato de outras crianças que presenciaram as ações do professor.

Material

Ainda segundo a delegada, em setembro, foi solicitada a prisão preventiva de Louri, mas o juiz só deferiu medidas protetivas, como o afastamento dele das vítimas e do local de trabalho, onde ele dava aulas há cinco anos. Também emitiu mandado de busca e apreensão. Com o suspeito, foram encontradas várias fotos de pornografia infantil e juvenil. O suspeito não tinha passagem pela polícia. “Ficamos surpresos com a quantidade de denúncias que chegaram contra ele. O número de vítimas pode ser muito maior”, afirmou Sabrina.

Louri foi indiciado por estupro de vulnerável. A delegada do Nucria destacou a importância de manter as crianças informadas sobre sexualidade, para protegê-las contra abusos. Ela ressaltou ainda que crianças que passam por situações como essa costumam apresentar comportamentos diferentes do normal, como insônia, pesadelos e rebeldia.