enkontra.com
Fechar busca

Painel do Crime

Presa gangue de assaltantes

  • Por Clewerson Bregenski


t83141204.jpg

Daniel, Davi, Gilmar, João, Alessandro e Sidnei, vários roubos.

Uma quadrilha acusada de praticar diversos roubos na capital foi presa, na última quinta-feira, por investigadores do 12.º Distrito (Santa Felicidade) e seis integrantes foram apresentados, ontem à tarde, para a imprensa. Sidnei de Assis, 32 anos; Gilmar Moraes, 29; João de Castro Bueno, 33; Alessandro de Moura, 23; Davi de Almeida Jorge, 31, e Daniel de Almeida Jorge, 31. Com eles, a polícia apreendeu quatro armas: três revólveres calibre 38 e uma pistola 380, munições e carregadores, além de quatro carros que estavam em poder do grupo e uma motocicleta, que foi utilizada nos assaltos. Todos foram autuados por formação de quadrilha pelo delegado Edu da Silva Furtado Filho.

Os investigadores Rubens e Márcio foram incumbidos de localizar os integrantes de uma quadrilha que estaria cometendo roubos, principalmente contra empresas, e que teria um ponto de reunião no bairro Santa Felicidade ou adjacências. As diligências apontaram para um salão de beleza, situado na Rua Toaldo Túlio, no São Braz, como local de reunião do grupo e, na última quinta-feira, o estabelecimento foi "visitado" pelos investigadores. Lá, foram detidos Sidnei, Gilmar, João e Alessandro e encontrados as armas e os veículos. Davi e Daniel foram localizados logo na seqüência, em Campo Magro.

Assaltos

De acordo com dados da polícia, nos interrogatórios os detidos confessaram a participação nos roubos ao Colégio Bagozzi, em 5 de outubro, quando foram arrecadados R$ 28 mil; à empresa Decormad, situada no Parque Barigüi, em novembro (R$ 9 mil), e de ter roubado, em julho, um Audi prata que foi abandonado no Contorno Leste. Os roubos ocorridos em outras empresas e de outros carros também são atribuídos aos integrantes desse grupo e a polícia está investigando. "Eles eram ?clínica geral’", adiantou o investigador Rubens, afirmando que o grupo estava agindo há pelo menos oito meses.

Os investigadores estão à procura de mais um integrante da quadrilha, que foi responsável por passar informações sobre um dos locais assaltados.

Quadrilheiro pode ser autor de homicídio

A polícia está investigando a provável participação de Daniel de Almeida Jorge em um crime de homicídio, ocorrido em 3 de outubro deste ano, contra Milene Endressi da Cruz. Ela foi assassinada com dois tiros de revólver, quase na esquina das ruas Ari José Valle e Antônio Batiata Valle, em Santa Felicidade. Dois indivíduos que ocupavam uma motocicleta vermelha (Honda/Titan) foram os autores dos disparos. Daniel é apontado como o mandante do crime, que teria sido motivado por vingança.

As armas apreendidas em poder da quadrilha serão encaminhadas para serem periciadas. Assim, será possível confrontar a arma com os projéteis que mataram Milene.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas