Arquivo
Emerson forneceu informações à DH.

Emerson Antônio da Silva, 25 anos, pivô da morte da estudante Dayana Cordeiro de Souza e acusado de envolvimento em outros crimes, preso no fim de semana ao sair de uma boate, resolveu contar tudo para a polícia na tarde de ontem, durante um interrogatório que durou quatro horas. Ele falou sobre a morte da namorada Dayana (filha do subcomandante do 13.º Batalhão da Polícia Militar), que aconteceu no dia 23 de junho; sobre a guerra entre gangues no Sítio Cercado e sobre o latrocínio (roubo seguido de morte) do guarda municipal Francisco Tavares, ocorrido no dia 17 de maio passado.

O delegado Adonay Armstrong, titular da Delegacia de Homicídios, avaliou as declarações do rapaz como positivas para as investigações. ?Foi interessante e esclarece fatos anteriores à morte da namorada dele. Foi um interrogatório longo e complicado?, avaliou o delegado, que preferiu não dar detalhes sobre o que foi dito. ?Ainda vamos investigar a veracidade das informações fornecidas pelo Emerson?, disse Adonay.

Mortes

De acordo com as investigações, Emerson é integrante de uma das gangues do Sítio Cercado, em ?guerra? com um grupo rival. Emerson teria assassinado um rapaz, integrante da outra gangue, no dia 10 de junho. E, em represália, os amigos da vítima dispararam cinco tiros na cabeça de Dayana.