Brasília – O Ministério da Saúde comprou oito milhões de doses da vacina contra o rotavírus e incluiu a injeção no calendário do Programa Nacional de Imunizações (PNI). Com isso, será possível vacinar este ano cerca de 3,5 milhões de crianças de até seis meses.

A partir de março, a vacina estará à disposição da população nos postos de saúde da rede pública. O Instituto Butantã trabalha agora para produzir uma vacina nacional até 2007 e dispensar a compra do produto.

Segundo o Ministério da Saúde, a doença é responsável por cerca de 30% das diarréias graves em crianças de até cinco anos. Para o secretário de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, a inclusão da vacina contra o rotavírus no calendário do PNI significa redução no número de internações hospitalares.

"Esperamos reduzir mais de 40% de todas as internações por diarréias e que cheguemos a evitar perto de mil mortes por diarréias no Brasil nesta faixa etária (até cinco anos)", disse Jarbas. O secretário lembrou que "mãos sujas, alimentos e objetos contaminados são as principais formas de se contrair o rotavírus."

Outra forma de prevenção é o aleitamento materno em crianças de até 6 meses, devido ao nível de anticorpos que fornece as crianças defesas contra vírus, bactérias ou protozoários causadores da diarréia.