Quatro torcedores do Coritiba foram presos em flagrante, na manhã deste domingo (8), portando bombas caseiras. Um delas estava sendo montada dentro de uma estação-tubo na Avenida Manoel Ribas, bairro Mercês, em Curitiba. Por conta disso, o tubo, que fica na Praça Frei Ricardo (Praça das Mercês), ficou uma hora interditado, para que policiais militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) manejassem o artefato explosivo. A outra estava com torcedores nas proximidades do estádio Major Antônio Couto Pereira, no Alto da Glória.

+ Leia mais: Após acordo com a Lava Jato, pedágio para o litoral e outras 5 praças vai baixar

As ocorrências iniciaram por volta das 9h40 da manhã. No tubo, conforme passageiros, havia um grupo de 30 a 40 rapazes de uma torcida organizada dentro do tubo, fazendo algazarra enquanto esperavam o ônibus. Uma equipe da Rondas Ostensivas de Naturezas Especiais (Rone), do Bope, passavam bem no momento em que um dos torcedores fazia uma bomba caseira dentro do tubo, usando pólvora e pedras. É procedimento da Rone circular com mais intensidade nos dias de jogos e acompanhar ou abordar torcidas organizadas na rua.

Na região do estádio Couto Pereira, a bomba encontrada era composta somente de pólvora.

A estação-tubo onde estava a bomba fica na Praça Frei Ricardo, a Praça das Mercês. Foto: Lineu Filho/Tribuna do Paraná.
A estação-tubo onde estava a bomba fica na Praça Frei Ricardo, a Praça das Mercês. Foto: Lineu Filho/Tribuna do Paraná.

Pra delegacia

Na estação-tubo, todos foram abordados e o rapaz que fazia a bomba foi preso em flagrante e levado à Delegacia Móvel de Futebol e Eventos (Demafe). Mas antes dele ser levado, foi preciso acionar uma equipe do Esquadrão Antibombas, do Bope, para verificar e remover o artefato do local. Por este motivo, o tubo – por onde passam os ligeirinhos Inter 2 e Santa Felicidade/Bairro Alto – ficou interditado das 10h às 11h. Os ônibus não puderam parar no tubo e os passageiros tiveram que embarcar e desembarcar na rua, já que o tubo ganhou um isolamento bem grande e ninguém podia se aproximar.

+ Leia ainda: Celular salva vida de assaltante após troca de tiros com a PM em Curitiba

Uma pessoa que estava no tubo, e pediu para não ser identificada, acredita que eles soltariam a bomba ali mesmo, já que há alguma semanas fizeram o mesmo dentro do tubo da Praça das Bandeiras, no bairro Alto da XV. Também é provável que os torcedores estivessem aguardando o Inter 2, para seguir rumo ao Estádio Couto Pereira, onde o Coritiba começou a jogar às 11h contra o Atlético Goianiense.

Torcedores que estavam com a bomba no Alto da Glória também foram presos.

As bombas foram detonadas pela polícia nas Mercês. “Escolhemos um local que não apresentasse perigo durante a detonação, para termos segurança nesta ação. É um local próximo de onde as duas abordagem foram feitas. Usamos uma contracarga, ou seja, uma técnica que usa outro explosivo para dar a ativação necessária”, disse o saldado Marcelo, do esquadrão antibombas da PM. Peritos da criminalística acompanharam as explosões.

Segundo a Polícia Civil, os torcedores vão assinar um termo circunstanciado por provocação de tumulto.

Ruas do bairro Mercês foram bloqueadas para que os explosivos fossem detonados com segurança. Foto: Giselle Ulbrich/Tribuna do Paraná.
Ruas do bairro Mercês foram bloqueadas para que os explosivos fossem detonados com segurança. Foto: Giselle Ulbrich/Tribuna do Paraná.

Homem é encontrado morto em trilho de trem na região de Curitiba