O julgamento de um casal acusado de matar o menino Izaque Furlan de 6 anos, e depois esconder o corpo dentro de um forno, terminou na noite de quinta-feira (25), no Tribunal do Júri de Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba. Ana Maria Gouveia foi condenada a 22 anos e nove meses de prisão, enquanto Claudinei Gonçalves Monteiro acabou absolvido.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

A condenada foi qualificada por homicídio, dissimulação e ocultação de cadáver. A defesa de Ana Maria informou que pretende recorrer da decisão, pois imagina que Claudinei Monteiro também seria punido.

Julgamento

O julgamento teve início na quarta-feira (24) e mais de quinze testemunhas foram ouvidas segundo o Ministério Público do Paraná (MP-PR). Marcos Antônio da Cunha Araújo, da 1.ª Vara Criminal de Almirante Tamandaré, presidiu o Tribunal do Júri. Os promotores que atuaram foram Ricardo Baldacin Salgado e Mariana Dias Mariano.

O crime!

Izaque Furlan teria morrido por espancamento com golpes de tijolo na cabeça e por fim, estrangulado com um fio de enceradeira, em 2017. O corpo foi encontrado em uma mala dentro de um forno na casa da autora do crime. Ana Maria era responsável por cuidar de Izaque, enquanto a mãe trabalhava. Ana Maria Gouveia relatou na oportunidade que cometeu o crime devido a desavenças com a mãe do menino.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Homem morre ao cair em córrego após parar pra ‘fazer xixi’