A Secretaria da Segurança Pública do Paraná (Sesp) lamenta o confronto ocorrido entre manifestantes e policiais militares durante a votação dos projetos da Câmara Municipal.

Os manifestantes não se concentraram no local determinado previamente em reuniões na Sesp, a Pedreira Paulo Leminski. Ao invés disso, se aglomeraram na rua e parte deles rompeu a barreira imposta pela PM. As imagens mostram que os manifestantes partiram para cima dos policiais, jogando grades de proteção, pedras e até um extintor de incêndio.

Infelizmente, 24 pessoas ficaram feridas, sendo 10 manifestantes e 14 policiais militares. Três pessoas foram encaminhadas para hospitais, dois homens com ferimento de bala de borracha na perna e uma mulher com luxação no ombro. Dos 14 PMs feridos, cinco foram levados para o Hospital Evangélico. O caso mais grave é de um soldado do 23º Batalhão da PM que foi atingido por um paralelepípedo e teve o maxilar fraturado. Ele está internado e deve ser submetido a uma cirurgia. Um outro policial e uma policial militar também foram feridos no rosto após serem atingidos por pedras. A Sesp lamenta ainda que alguns jornalistas, no exercício da profissão, também tenham ficado feridos.

Durante a ação, três pessoas foram detidas: Carlos Alberto Lima por desacato e porte de rádio de comunicação sem licença de uso. Ele foi encaminhado para a Polícia Federal. Edmar Teixeira Júnior por portar spray de pimenta e Cláudio Celestino Bottini Scarpetta Júnior por porte de cocaína. Já foram liberados.

A Secretaria da Segurança Pública ressalta que, em nenhuma circunstância, as aeronaves da polícia são utilizadas para auxiliar em controle de distúrbios civis. O emprego do helicóptero nesta segunda-feira foi como plataforma de observação, eventual socorro médico e para levantamento de informações, como número de manifestantes no local. Não é verdadeira a informação que foi jogada bomba do helicóptero. As aeronaves nunca são equipadas com material explosivo ou bomba de gás.

A Sesp espera que não ocorra qualquer incidente entre policiais e manifestantes nesta terça-feira (27). E pede para os sindicalistas que queiram se manifestar de forma pacífica que se concentrem na Pedreira Paulo Leminski, conforme combinado em reuniões prévias, com a participação de Ministério Público e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Paraná.