Uma confusão foi registrada entre os servidores municipais e policiais militares na manhã desta segunda-feira (26), em frente à Ópera de Arame, onde está sendo votado o pacote de ajustes fiscais proposto pela Prefeitura de Curitiba. Uma professora se machucou e dois profissionais da imprensa foram agredidos, entre eles o repórter Lucas Sarzi, da Tribuna do Paraná.

O tumulto aconteceu na chegada da cavalaria da Polícia Militar (PM). Os servidores foram fazer uma barreira para evitar que os cavalos chegassem. “Eu estava ajudando a colocar as grades quando começaram a jogar spray de pimenta e nos agrediram com os cassetetes”, explicou Lisiane Bueno.

A mulher, que é professora da Escola Municipal Paulo Esmanhoto, no Bairro Novo, teve o dedo quebrado. “Pelo que o pessoal do atendimento dos primeiros socorros me disse, quebrou mesmo”, comentou ela enquanto colocava uma garrafa com gelo.

Para a professora, os policiais não são culpados do que aconteceu. “Eles estão cumprindo ordens, trabalhando. Sabemos que é o papel deles”, disse.

No momento da confusão, houve a presença de black bocks entre os manifestantes. Depois do tumulto, as grades foram retiradas, mas ainda são duas áreas de bloqueio em frente à Ópera de Arame. Os ânimos continuam exaltados, mas sem confusão.

“Os servidores querem ter o direito de entrar, mas a polícia começou a jogar gás. Os policiais vêm para cima da gente para defender ao máximo o que ocorre lá dentro. É como o massacre dos professores estaduais em 29 de abril”, disse a professora Rosana Almeida.

Profissionais da imprensa agredidos

Enquanto acompanhava a manifestação dos servidores municipais, o repórter Lucas Sarzi, da Tribuna do Paraná, foi agredido por um policial que o atingiu com um cassetete.

Outro profissional de imprensa, um fotógrafo, precisou de atendimento médico durante outra confusão registrada nesta manhã. Ele teria sido atingido com spray de pimenta e acabou desmaiando no meio da confusão.

Três pessoas detidas

De acordo com informações da Secretaria de Estado da Segurança Pública do Paraná (SESP-PR), três homens foram detidos durante a confusão, um deles portando spray de pimenta, outro portando cocaína e um terceiro, que desrespeitou a área disponível para a imprensa e assessores e, ao ser convidado a deslocar para área autorizada, desacatou os policiais e usou de força, além de portar rádio de comunicação sem licenças de uso. Por causa disso, este último foi encaminhado para a Polícia Federal.

Ainda segundo o órgão, seis pessoas ficaram feridas, mas a contagem da secretaria não inclui a professora que quebrou o dedo e o repórter da Tribuna do Paraná, apenas um manifestante (com ferimento na perna) e cinco policiais (feridos com pedradas, um deles, inclusive, encaminhado para o Hospital Evangélico).

Acompanhe em tempo real: