“Quando a esmola é demais, o santo desconfia”. A velha expressão popular pode ser empregada em uma situação de agressão sofrida por Fagner Gonçalves Silva, de 30 anos. O rapaz alega que recebeu socos de um representante comercial de nome Rodrigo, do Clube Candeias, na última sexta-feira (18), em uma loja localizada na Rua Roraima, no bairro Cajuru, em Curitiba. Fagner fez boletim de ocorrência no 6° Distrito Policial e passou por exame de lesão corporal no Instituto Médico Legal de Curitiba (IML). A vítima relata ainda que ficou com olho roxo e recebeu 3 pontos na orelha esquerda.

+Leia também: MC Gui perde contratos após zombar de menina com câncer nos EUA

De acordo com Fagner, ele recebeu, em um posto de gasolina, um convite para se hospedar gratuitamente em hotéis da rede até o próximo dia 31 de outubro, com direito a um acompanhante. Ao entrar em contato via telefone com a Central de Atendimento, foi informado de que não havia disponibilidade nos hotéis desejados até a data limite.

Mesmo assim, foi até loja no Cajuru com o convite na mão. Ao receber novamente a informação de que não havia disponibilidade para os dias pretendidos, Fagner pediu ao representante que tirasse o seu nome e dados do registro da concessionária de vendas. Neste momento, teria ocorrido um desentendimento entre os dois e o representante teria rasgado o papel com os dados de Fagner. Na sequência, a vítima afirma que Rodrigo teria partido para cima dele e agredido com um soco. Ao cair, bateu a cabeça em um vaso que teria provocado o ferimento na orelha. Mesmo caído, mais dois socos teriam acertado Fagner conforme alegou para a reportagem da Tribuna do Paraná em áudio enviado por mensagem.

+Leia também: Curitiba recebe visita da princesa da Dinamarca pra inauguração de orfanato

Convite teria sido entregue em posto de combustíveis. Foto: Arquivo pessoal
Convite teria sido entregue em posto de combustíveis. Foto: Arquivo pessoal

O advogado que defende Fagner, Igor José Ogar, pretende entrar com processos em várias instâncias. “Lesão corporal, eventual estelionato, publicidade enganosa e práticas abusivas ao consumidor. Além da reparação civil que teve por todos os problemas que ocasionou a agressão”, explicou o advogado.

Em nota enviada, o Clube Candeias informa que foram feitas duas tratativas com Fagner. Na primeira ligação, foram disponibilizadas duas diárias na unidade Mar Azul, em Guaratuba, no litoral paranaense. A outra oferta foi para a unidade Ilhas Gregas, em Balneário Camboriú, em Santa Catarina. Neste caso, ficou pendente a confirmação do número do convite. Por fim, o clube lamenta o suposto episódio de agressão ocorrido repudiando qualquer forma de violência. Além disto, o Candeias se coloca à disposição de autoridades para apurar os fatos narrados por Fagner.

Novo posicionamento

No dia 31 de outubro , a assessoria de imprensa do Candeias entrou em contato para sugerir uma nova alternativa para quem enfrentou problema semelhante ao relatado por Fagner. “Para convidados que, comprovadamente, receberam seus cupons na última quinzena do período válido para utilização, quando as disponibilidades naturalmente são escassas, e que mantêm o desejo de visitar uma de nossas unidades para ratificar seu interesse pela associação, disponibilizamos a revalidação (substituição) da cortesia para utilização a partir do segundo trimestre de 2020, quando começa a valer a nova edição da campanha. Datas específicas serão divulgadas no regulamento”, diz a nota.

 

Carro pega fogo perto do Jardim Botânico e assusta turistas e moradores da região