A visita de Dilma Rousseff ao Ceará, hoje, forçou uma reaproximação entre Luizianne e Cid Gomes. Os dois não apareciam nos mesmos eventos desde o ano passado. Uma declaração do senador José Pimentel (PT), dada este mês logo depois da viagem da presidente às cidades de Juazeiro do Norte e Mauriti, onde Dilma conferiu obras da transposição do rio São Francisco, estremeceu ainda mais a relação e colocou sob risco a reedição da aliança PT/PSB para as eleições municipais deste ano.

O senador petista declarou que recursos federais estavam deixando de chegar ao Ceará por falta de projetos. A fala foi recebida por Cid como “uma declaração de guerra”. Havia rumores que Luizianne e Cid não estariam juntos hoje. Mas a prefeita surpreendeu a todos comparecendo a todos os eventos.

Antes da cerimônia em Caucaia, na região metropolitana de Fortaleza, Dilma, Cid e Luizianne almoçaram juntos em um hotel em Aquiraz. De acordo com o ministro Fernando Bezerra (Integração Nacional), o grupo não teria falado sobre política. “Falei com ela sobre a palestra em João Pessoa, que estava Dom Aldo Pagotto lá. E ela quis saber o que Dom Aldo havia falado”. Com relação ao clima tenso envolvendo a sucessão em Fortaleza, o ministro disse que só ficou sabendo do assunto pela imprensa.

A presidente Dilma Rousseff não discursou e nem falou com a imprensa durante a visita que fez esta tarde às obras do trecho 5 do eixo de integração Castanhão-Pecém, em Caucaia (CE). Acompanhada por ministros, pelo governador do Ceará, Cid Gomes, e pela prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, ela apenas cumprimentou alguns e operários da obra e posou para fotos.