Depois de uma votação pra lá de conturbada, com adiamento, impugnação e desistência de candidatura de Renan Calheiros (MDB-AL), o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) foi eleito presidente do Senado na tarde deste sábado (2).

A eleição terminou por volta das 19h, com 42 votos a favor de Alcolumbre, de um total de 77 senadores que participaram da votação.

Aos 41 anos, Alcolumbre é comerciário com formação incompleta em Ciências Econômicas. Na eleição de 2018, disputou o governo do Amapá. Ele perdeu a eleição para Waldez Góes (PDT).

Suas primeiras palavras como presidente do Senado foram: “Quero agradecer a Deus pela oportunidade de sentar nesta cadeira”.

Adversários derrotados

Inicialmente, eram nove candidatos ao cargo. Durante a sessão, entretanto, quatro candidatos declinaram da candidatura. Major Olímpio (PSL-SP), Álvaro Dias (Pode-PR) e Simone Tebet (MDB-MS), que tinha lançado candidatura avulsa, desistiram da eleição para apoiar Davi Alcolumbre (DEM-AP), reforçando a oposição a Renan Calheiros (MDB-AL).

Após uma confusão com uma cédula a mais, que deu início a uma nova votação, o próprio Renan, entretanto, declinou da candidatura. Os demais candidatos eram Fernando Collor (PROS-AL), Reguffe (Sem partido-DF), Ângelo Coronel (PSD-BA) e Esperidião Amin (PP-SC).

Vídeos mostram cenas desesperadoras do rompimento da barragem da Vale